sexta-feira, outubro 19, 2007

Sistema operacional

Coração, memória, imaginação, raciocínio, pensamento. Sinônimos de uma coisa só, ou melhor, partes de uma coisa só. Aquela coisa que realiza sinapses e dá piruetas, nuns mais, noutros menos. E que em mim, descobri, é extremamente fértil, sem excesso algum.

O (meu) coração é um mundo. Frenético, pulsante, quente. Capaz de se expandir e se retrair quilômetros em meros segundos, capaz de cultivar e matar com a mesma predisposição, bastando para isso a semente ou as primeiras horas de sol causticante. Capaz também de se recuperar de hecatombes com uma firmeza insuspeita, por se mostrar tão frágil em alguns momentos. Capaz de amar com loucura e de se declarar exausto com a mesma intensidade. Capaz de guardar em si uma tonelada de momentos e sensações.

A memória é autista. Guarda momentos inusitados, bons e ruins. Em determinadas situações, apenas o bons - com uma dose extra de saudade - e noutras, apenas os ruins - com um gosto amargo que não sai nem esfregando. Lembra o nome do personagem coadjuvante daquele filme que estava passando naquele dia com aquela fala daquele momento, mas esquece o cardápio do almoço de hoje. E funciona com conectivos insuspeitos, faz as ligações mais improváveis, associa as coisas mais díspares. E quando repassa alguns momentos, provoca ora suspiros e estremecimentos, ora caretas e alívio por aquilo não existir mais a não ser em seus próprios arquivos.

A imaginação é gigantesca e poderosa a ponto de plasmar concretamente criações nascidas do raciocínio, do pensamento e do coração. Capaz de criar mundos inteiros e personagens detalhados, até mesmo pra substituir os reais. Capaz de, partindo de uma palavra ou um som, produzir um show pirotécnico.

O raciocínio é rápido pra algumas coisas. Pra piadas infames e teorias mirabolantes, na maioria das vezes. (rá rá rá) E isso se explica pela sobrecarga provocada pelo coraçao e pela imaginação no sistema. Dois programinhas meio pesados, quando um está funcionando, o outro fica meio atordoado.

Por fim, o pensamento. Um vadio, que às vezes é acometido por idéias fixas.

(...)

To aqui imaginando uma cpu que caiba tudo isso. (hum)

8 comentários:

Lailla Roberta disse...

Ola!!td bm?estava louca p conhecer gnt q estivesse algo em comum cmg e q tivesse blog.nos temos em comum o filme brilho eterno!espero q possamos tc ta ok?visite meu blog e me add no orkut tbm!bjos!

Anônimo disse...

Disse uma vez um sábio sufi: "O Real abarca tudo. (...) Triste é nutrir a raiva. Triste é magoar o Outro deliberadamente." Al-Tawwab

Junior disse...

A bunda é grande...

José Alberto Farias disse...

Quer casar comigo?

:-)

Ricardo Goothuzem disse...

Grande blog, parabéns!

lyS disse...

Ja visite seu blog algumas vezes e gostei muito.
Uma CPU onde caiba tudo isso... so a grande CPU do coracao mesmo!!!

Pequenos Delitos disse...

Ofereço CPU com cama, comida, roupa lavada e cartão de crédito sem limite.

:-)

Lívia disse...

Quem dá mais?

ahahhahaha

beijo, Zé.