segunda-feira, dezembro 14, 2009

Apareceu a margarida

É, eu não morri. Só estou meio ocupada. Sabe, eu sempre tive medo disso...que a minha vida ficasse tão cheia que eu acabasse perdendo a criatividade, aquela vontade frenética de criar e de escrever, aquela capacidade que eu tinha (tenho?) de me afastar de tudo, de ir prum mundo à parte, de jogar com outras regras. Eu sempre tive medo que as minhas preocupações falassem mais alto que as vozes na minha cabeça, sempre temi a hora em que os dilemas com os quais eu tivesse que me debater fossem coisas prosaicas como fazer supermercado, descongelar carne para o almoço, lavar louça e dizer pra empregada que lençol ela deve colocar na cama essa semana. Medo de crescer? Não, nem é isso. Medo de ser engolida pelo cotidiano, eu acho. De me tornar terrivelmente medíocre, exaurida pelo dia de trabalho, sem senso de humor, de saco na lua, sem nada pra dar, que nem uns e outros que eu conheci ao longo da minha vida. Eu sempre tive medo daquilo. Aliás, top 5 relâmpago! Cinco medos em ordem crescente!

1. Medo de agulha e de qualquer outro objeto perfurante. Medo de sangue, né? Aquilo meio que me tira do sério. É só olhar e estremeço toda. Não vejo filme de terror, não páro na rua que nem urubu pra ver acidente de carro, não aguento nem descrição muito detalhada de acidente.

2. Medo de parto. É, de parir, mesmo, ou de "dar à luz" praqueles mais sensíveis que preferem fazer amor a fazer sexo. Tenho horror dessa idéia. Não existe nada mais enfurecedor pra mim do que a Fernanda-Tive-Filhos-Gêmeos-de-Parto-Normal-e-sou-Descabaçada-Lima fazendo campanha sobre parto normal na televisão. Ah, vai se catar, cara. Dor não é comigo.

3. Medo de passar em concurso público. Não, não é medo da prova, não, é medo de passar mesmo. Estou descobrindo gradativamente que tenho uma séria fobia de repartições e órgãos públicos e, por mais que a perspectiva salarial seja interessante, eu acho que morro se um dia for parar dentro de uma dessas de novo.

4. Medo de deixar a vida me engolir e perder o meu brilho. Pô, eu sou inteligente, sou bem humorada, tenho (tinha?) várias idéias, sou capaz de fazer reclamações que são quase tratados, sinto muita coisa, gosto de muita coisa, amo muita coisa. Tenho pavor de ficar burocrática, burra, vazia, insensível. Pavor de medir a minha vida pelas coisas que eu FAÇO e TENHO em vez de medir pelo que eu SOU, pelo que eu PENSO e pelo que eu SINTO.

5. Medo de não ser boa o suficiente. Puxa, acho que isso é assunto recorrente aqui nesse blog, né? Merda de auto-estimazinha cachorra essa minha. Medo de não conseguir lidar com os meus defeitos, medo de não evoluir, de não chegar a lugar nenhum. Medo de estagnar, medo de não corresponder às expectativas - principalmente às minhas próprias. Medo de não merecer as coisas, as pessoas.

Eu tenho vergonha de muita coisa, sabe? Eu sou desligada, alienada, desorganizada, bagunceira, emocional, cínica, ácida, egoísta, pentelha, narcisista, paranóica, irascível, chata, chata, chata, chata. E eu SEI disso, sabe? Lidar com a gente mesmo todo dia é tão difícil! Gostar de alguém assim é um saco, é preciso se focar arduamente nas qualidades na tentativa de ignorar os defeitos e ainda assim não dá muito certo. Deve ser por isso que a minha auto-estima é tão cretina como é. Ô, Meu Deus...eu preciso de aceitação e determinação na minha vida...preciso aceitar minhas limitações e ter capacidade de lutar contra os meus tristes defeitos. Se não, pra que tudo isso?

quarta-feira, novembro 04, 2009

Insurreição

Fabrício chegou da rua agora há pouco e, enquanto eu tomava banho, sentou-se no meu computador pra checar as novidades do facebook dele. Eu saí do banho, penteei o cabelo, saracoteei pela cozinha, sentei do lado dele no sofá.

- Fabríiiciôôoo...
- Que, Morena?

Pausa prum esclarecimento. O Fabrício é o protótipo do cérebro masculino: ele processa uma coisa de cada vez e ponto final. Tentar falar com ele quando ele está no computador ou lendo alguma coisa, é pura perda de tempo. Ou você se irrita ou ri do desligamento dele, é batata. Então...

- Que, Morena?
- Vem cá, vem...

Girei a cadeira dele, puxei pra mim, dei beijinhos, fiz carinhos. Ele fez gracinhas, deu beijinhos e... voltou pro computador. Eu saí do sofá e me recostei na cama.

- Fabríiiiciôôoo...
- Que, Morena?
- Fabrício, faça o favor de largar esse computador???

Ele se virou:

- Hein?
- É, oras! A noite está se escoando!! Vai logo tomar seu banho que eu to aqui te esperando!
- É? - ele se levantou e foi andando pro banheiro - E o que é que a gente vai fazer?
- Sei lá, qualquer coisa, mas eu quero atenção, ora bolas!

Ele entrou no banheiro e fechou a porta. Reabriu 15 segundos depois:

- Cê quer atenção, é? Vou te dar um cachorro! - e fechou a porta de novo.
- Pois eu prefiro um gatooooo! E anda logo nesse banheiro!!! Humpf!

Especialmente pro Fabrício



I LOVE YOU I DO

Never met a man quite like you
doing all you can
making my dreams come true
you're strong and you're smart
you've taken my heart
and I'll give you the rest of me too
your the perfect man for me
I love you I do

mmm I love ya

never I have felt quite like this
good about myself
from our very first kiss
I'm here when you call
you've got it all
and confidence like I never knew
you're the perfect man for me
I love you I do

you've got the charm
you simply disarm me everytime
as long as you drive
I'm along for the ride your way
you've said it before
there won't be a door that's closed to us
I'm puttin' all my trust in you
cause you, you'll always be true

aaaaaaaa-wwwww
I never could've known this would be
aaah you and you alone yeahhh
all for me
I know you're the best, you passed every test
it's almost too good to be true
you're the perfect man for me
I love you I do

your the perfect man for me
I love you I dooooo... dooooo

quarta-feira, outubro 28, 2009

Antes mole do que duro...

Gente, depois dizem que eu exagero quando digo que organizei caravana de putas pra animar a santa ceia, viu? Veja bem a situação: outro dia, o "pobrezinho" do Fabrício escreveu inocentemente assim no Facebook dele: "Aaaaaaaaaaaai, que dor de cabeça!". E logo abaixo veio o comentário de uma filustreca lá que é contato dele: "ô, tadinho, toma remedinho!". Eu, que sou uma mulher cosmopolita, bem resolvida, vacinada, segura de mim, olhei bem praquilo e pensei: "Opa, melhor dar uma mijadinha ali, pra marcar meu território". Fui lá e caprichei um presunçoso e carinhoso: "Vem logo pra casa que eu faço a dor de cabeça passar...". Assim, de leve, sabe? Só pra neguinha saber que o senhor Fabrício não tá solto no vento que nem folha seca, que ele tem dona, que a dona está na área e se vacilar, eu grito "pênalti!!". Sabe o que aconteceu??? Não deu um minuto, e a mocréia APAGOU o comentário!!!! Ah, menino, fala sério, né? Diz pra mim: se você escreve uma coisa INOCENTE e TOTALMENTE DESPROVIDA DE SEGUNDAS INTENÇÕES no mural de alguém, você corre e apaga porque o/a namorado/a comenta em seguida?? Claro que não!!! E eu sacaneei TANTO o Fabrício por causa disso, que entrou pro anedotário daqui de casa...de uma hora pra outra, não interessa o assunto, eu enfio um "é, meu sapato furou, mas EU não deixo comentário cheio de malícia e segundas intenções no mural do namorado alheio, né?" ou "é, vai chover, mas fala sério: gente que deixa comentário na página dos outros e apaga, tem ou não tem segundas intenções?" e por aí vai. Já perdi a conta de quantas vezes acabamos rindo de nos acabar aqui, só por causa dessa besteira.

Aliás, a de hoje foi ótima. Ele chegou da faculdade à noite e foi me contando os acontecimentos do dia. Lá pelas tantas, ele falou assim:

- Aí eu liguei pra "Filustreca", pra saber como tinha sido lá, se tinha dado problema porque eu não apareci...Aí ela disse que não, mas que falou com o coordenador e disse que...

- Fabrício, peraí...
- Que é, Morena?
- Você disse que LIGOU pra Filustreca??? Justo pra Filustreca? Justo aquelazinha que fica deixando comentários safados e oferecidos no seu mural??

- Ela mesma!
- Mas Fabrício, isso é um ultraje! Tá muito confiadinho, VOCÊ TÁ DANDO MOLE PRA ELA!!!!
- Ué, Morena, antes o mole do que o duro, né não?

- ... (cataploft)

domingo, outubro 18, 2009

Boca de Tucunaré

Post novo, ou melhor, de estréia, no Boca de Tucunaré: http://bocadetucunare.blogspot.com/

sexta-feira, outubro 02, 2009

To bêbada, lalalala...

Taí, essa é uma experiência que nunca tive: escrever no blog quando a cabeça tá zoadinha. De a-l-c-o-o-l. É. Sabe aquelas revoltas que dá na gente? Do tipo: porra, é sexta feira, eu fiz prova de manhã, trabalhei o dia inteiro de salto alto, meu pé tá doendo, essa cidade tá quente pra caramba, eu to sozinha em casa porque o pobre do Fabrício DÁ AULA SEXTA FEIRA DE NOITE - fala sério, eu morro de dó dele...ninguém devia ter aula na sexta, nem aluno, nem professor...mas aí a quinta ia virar sexta e a coisa ia pro brejo...enfim, divago. Aliás, o que mais a gente faz quando bebe vinho sozinha ouvindo Ella Fitzgerald cantando "I didn't mean a word I say" no musicovery (eu devo estar mesmo só de pilequinho, ainda dou conta de fazer um link!!!) em casa numa sexta à noite? Fica la la la e divaga, né? O que eu dizia é que me deu uma revolta dessa vida de trabalho-escola-casa-e-tudo-com-um ônibus-dirigido-por-um0-motorista-barbeiro-no-meio...e pra me deixar ainda mais revoltada, descobri que umas mini mariposinhas-cretinas-xexelentas-de-uma-figa botaram ovos dentro do saco do meu arroz arbório e em tudo o que as malditas puseram as mãos. Ou melhor, as patas. Aquilo são patas? Mesmo tão pequenininhas? Podiam ser "filamentos", né? Putz, agora tá tocando Etta James com "I got it bad and that ain't good"- menino, cê não sabe o quanto demorou pra copiar o nome dessa música...quase parou de tocar no tempo que eu levei pra copiar e escrever CERTO. Porque convenhamos: eu fico de pileque, mas não perco o TOC - se alguém algum dia vir alguma coisa publicada por mim escrito errado, NÃO FUI EU QUEM ESCREVEU! Foi um clone, um fake, um intruso, um hacker, ou o Lula. Mas eu não fui. E mantenho minhas neuroses até mesmo na companhia de uma certa quantidade de bebida alcoolica. Ai, cansei de escrever merda. E eu que entrei aqui pensando em fazer um post super filosófico e tal, acabei emendando um pensamento no outro e falando nada com nada. Bom, então tá. Beijosmeliga. Fui.

domingo, setembro 13, 2009

Conversa supernormal

Rodando pelo Facebook, Fabrício e eu encontramos um daqueles aplicativos que prevêm a sua morte. Segundo a coisa, eu morreria assim:


Já o Fabrício, morreria assim:


Note a diferença gritante. Interessante é que o programinha só te pede a data do nascimento e saca essas respostas mirabolantes do bolso. A minha morte, prematura e praticamente cinematográfica. A do Fabrício, tardia e tenebrosamente tediosa. Será que isso significa alguma coisa? /heh

- Fabrício, eu tava aqui pensando...
- Ih, lá vem... que é, mulher?
- Se eu vou morrer aos 54 anos e você vai ficar pra semente até os 90...
- Hum?
- Você vai ficar livre de mim com 62 anos...
- É...
- E vai virar um daqueles velhos sem vergonha!
- HEIN? Mas por que?
- Porque eu te conheço...ó, com 62 você já tá quase na idade de andar de ônibus de graça...apooosto que vai virar o terror da terceira idade! Vai usar chapéu, vai frequentar o forró, tomar quilos de viagra e vai passar as velhinhas todas no bico!!!

- EPA! Pó pará! SACANEIA, MAS NUM ESCULACHA!!! Tomar viagra ainda vai, mas ATACAR NO FORRÓ, JAMAIS!!!

terça-feira, setembro 01, 2009

Homem doente

Fabrício está doente. Gripadinho, enjoado, tossindo. Liguei pra médica mais linda do mundo que, diga-se de passagem é minha tia, e descrevi os sintomas, perguntando se ela tinha algum xarope pra indicar pra acalmar um pouco a garganta dele. De posse do nome do remédio, liguei pra farmácia e mandei entregar em casa - onde ele está de molho nesse momento.

Chegando o remédio, ele foi logo abrindo a caixa e tirando a bula.

- Fabrício, 10 ml de oito em oito horas, larga essa bula que a Letícia disse que não tem coisa pior que leigo lendo bula de remédio, logo começa a sentir todos os efeitos colaterais...

Ele fez cara de criança que a gente manda não fazer uma coisa e ela te olha como quem diz "vem aqui me impedir".

- Eu leio se eu quiser! Afinal, eu sei lá o que essa mulher doida mandou você me dar? Vai que ela quer me matar? Vai que vocês estão mancomunadas? VAI QUE ESSE REMÉDIO ME DEIXA BROCHA????

Tem coisa pior que homem doente?

sábado, agosto 29, 2009

Desaforo

- Fabrício...a gente podia casar vestido de medieval, que cê acha?
- Hein?
- É...pensa só que legal: você veste um daqueles calções bufantes com uma meia calça e eu visto um daqueles vestidos que espremem a barriga e fazem os peitos saltarem lá no alto...
- Na na ni na não!
- Uai, não gostou da idéia?
- Gosteeeei! Mas eu vou vestido de frei franciscano! E você vai ser a mulher do padre!!
ahahahahahahahahahahahahahahahahahahhahaoijdsigsighfjjdhfhfugahajgijatjigjdsmfkdsh;ijdsakjalkjhangtkjgkjlkfgfjethwerpoao....
(5 minutos depois)
ahahahahhahhahahahajfdsjdjkkg;lks;krekr;dhgufshkjdslkskaaahahahahhaha...

- FABRÍCIO PÁRA DE RIR QUE VOCÊ VAI MIJAR NO MEU LENÇOL!!!!!

Sabe o que ele fez?????? ROLOU PRO MEU LADO DA CAMA!!!!

sexta-feira, agosto 21, 2009

pensamento do dia

"...não se colhe sem semear, nem se ganha sem merecer."

quinta-feira, agosto 06, 2009

Top Cinco Motivos para não se Casar

Acabei de ler um post excelente que serviu pra algumas coisas:

1. descobrir que a Kacey escreve bem pra caralho;
2. dar boas risadas;
3. xingar a mim mesma porque nunca tive a manha de fazer um post terminado em “por que passar por tudo isso quando você pode comer um chocolate?”
4. ouvir o indecente do Fabrício dizer que vai fazer um "top 5 motivos para não se casar";

Li o texto aqui em casa em voz alta, compartilhando com a cara-metade as pérolas de sabedoria da minha cara leitora. Ah! Pra que?? Lá da cama, o sem vergonha foi levantando os dedinhos e enunciando:

- Número Um: a data está muito próxima, Morena, em cima da hora...as pessoas vão pensar que você ta casando grávida!
- Que??? Mas eu nem falei que dia era o casamento, oras!
- Ah, é mesmo. Em que dia você tava pensando, Morena?
- Ah, sei lá...que tal primeiro de abril de 2010?
- Aí, num falei??? Estamos em cima da hora, vão pensar que você ta casando às pressas porque ta grávida!
- ¬¬...seu besta.

- Número Dois: como diz o ditado, “quem casa, quer casa”. Como ainda não temos uma, nada de casamento!
- Uai, mas se é assim, ta fácil...olha aqui esse anúncio no jornal, ó...
- Opa, opa, opa! Eu quis dizer uma casa toda varandada, no mínimo com quatro suítes, gazebo, estufa, adega climatizada no subsolo, sauna seca e sauna à vapor, uma área pra montar uma mini-marcenaria, lareira, sala interligada com o escritório e uma cozinha profissional, pra você receber os amigos e cozinhar pra eles...viu, como eu penso em você?
-¬¬ ...sei, e isso tudo no preço do metro quadrado no Distrito Federal, né? Affe.

- Número Três: Morena, Lua de mel TEM que ser no Tahiti!
- É? Eu tava pensando na Argentina...
- Na na ni na não! Lua de mel tem que ser no Tahiti! Se não for no Tahiti dá o maior azar! E como a verba neste momento está direcionada para outros projetos, eu receio que uma viagem internacional dessa magnitude terá que esperar um pouco...
- ¬¬...e ainda apela pra tucanagem!

- Número Quatro: onde é que correriam os nossos proclamas?
- Uai, como assim?
- Ora, a gente mora em Brasília, certo?
- Certo.
- Eu morei em Belém a vida inteira, certo?
- Certo.
- E o casamento, porventura, não seria em Uberlândia, né?
- Claro que sim!
- Então, Morena! Aonde a gente vai correr proclama? Nos três lugares? Ah, não, muito papel, muito complicado!
- ¬¬...por que isso não me surpreende, hein?

- Por fim, o Quinto e último motivo!...
- Hã, e qual vai ser?
- Bom...você não acha que está sendo precipitada, Morena...afinal, a gente mal se conhece e...aaaaaai!!!

SOC! PUM! POW! PAF! (no melhor estilo Maurício de Souza)


Kacey, eu acho que eu também devia preferir um chocolate. Vou mandar o Fabrício comprar. Cretino.

terça-feira, julho 21, 2009

Sinal de Ocupado

Tanta coisa pra fazer e tão pouco saco.
Aliás, deve ser uma dessas baixas hormonais, do jeito que eu to me sentindo agora, chego a lamentar que não me caiba embaixo da cama.

Kacey, querida, assim que passar o bode eu coloco seu post - começado e não terminado - no ar, ok? Desculpe.


sexta-feira, julho 17, 2009

Torpedo

Lívia escreve para Fabrício:

- Aaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhh!!!!! Tem um fio de cabelo branco na minha sobrancelhaaaaa!!!!

Fabrício responde para Lívia:

- Tomou papuda! Velha coroca!

¬¬

quarta-feira, julho 15, 2009

Espírito de Porco

Aaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!
SABE O QUE ESTA CRIATURA ACABOU DE FAZER COMIGO????
Onde eu estou que não mato esse homem???

F: Vou fazer um sanduíche pra mim. - disse ele, indo pra cozinha.
L: Use hambúrguer de peru, amor. - eu falei aqui do computador.
F: Por que????
L: Porque é menor e já está tarde pra comer um mega hamburgão.
F: Não sei da onde você tirou isso!
L: Não discute, homem, vai, pega o hamburguer de peru...
F: Eu pego se eu quiser!
L: ...e coloca queijo prato...
F: Eu coloco se eu quiser!

Eu fui pra cozinha e me pendurei no pescoço dele, que acabava de fechar a geladeira, com uma carne mega gigante em cada uma das mãos.

L: Ó, não me aborrece não que senão eu não te dou um trato mais tarde, hein?
F: Dou trato se eu quiser!...É...quer dizer...esquece isso, dá trato sim..beijinho, beijinho...
L: Humm, seu safado... - fiquei na ponta dos pés, de camiseta e calcinha.

Ele começou a rir..

L: Que foi, Fabrício?
F: Ai, Morena, eu não queria, mas é mais forte do que eu... - e ria.
L: O que??
F: Isso!

E encostou na minha bunda a carne congelada na mão dele e quase engasgou de tanto rir com o pulo e o grito que eu dei.

Agora me diz: ONDE EU ESTOU QUE NÃO MATO ESSE HOMEM???

quarta-feira, julho 08, 2009

Peripécias do Super Fabrício

Essa semana o Fabrício teve a audácia de se virar pra mim e lascar essa:

- Morena, você tá precisando atualizar aquele seu bloguezinho... Afinal, esse seu silêncio me prejudica!
- QUE?
- É, Morena, como é que ficam os meus fãs, ávidos por saberem de novas peripécias minhas, se você não conta mais minhas tiradas para o mundo???

Neste momento eu me joguei da cama movida por uma convulsão mesclada com impulsos suicidas. Ele chorava de tanto rir lá no canto dele, o miserável. Eu devia era sepultá-lo neste blog, nunca mais contar nenhuma das gracinhas dele, porque esse negócio de falem mal, mas falem de mim é coisa de gente carente. Maaas, depois ele pediu perdão, fez cara de cachorro e eu acabei resolvendo atender ao pedido da criança.

O nariz do Fabrício não funciona muito não, mas o meu funciona o suficiente pra nós dois. Nada me escapa. E um pouco por causa disso, aqui em casa gostamos muito de sabonete. Sabonete CHEIROSO, ressalte-se bem. Nada desses "lúquisluxo", que de luxo não têm nada, não, faça o favor. Costumamos comprar uns sabonetes artesanais que vêm de Pirinópolis que são ótimos, você toma banho, sai recendendo a capim-limão, eucalipto, chocolate e esse tipo de coisa. Outro dia, ganhei num desses amigos ocultos de fim de ano um sabonete exótico de ameixa da Boticário que fez o maior sucesso. Nossa, que cheiro bom! Aí encontramos a linha de sabonetes da TAEQ, a marca do Grupo Pão de Açúcar que é maravilhosa - tão boa que é o único adoçante que eu já provei na vida que não tem gosto de adoçante. EU JURO, pode experimentar. Mas experimente o adoçante CULINÁRIO, pelos outros eu não me responsabilizo.

Bom, mas voltando. A linha de sabonetes, xampus, condicionadores, cremes hidratantes (e etc) da Taeq é separada em "rituais". Tem o ritual Seduzir, o Energizar, o Refrescar e o Relaxar. Cada um tem uma combinação original, interessante e muito agradável de esssências (Ê, se eu ganhasse dinheiro pra fazer merchandising aqui, hein, minha gente?). O sabonete do Seduzir é uma combinação de lichia e baunilha. O do Energizar é resultado da combinação de extrato de bambu e ginseng. O do Refrescar leva lima da pérsia com sândalo. Por fim, os do Relaxar combinam melissa com anis-estrela ou geléia real com capim-limão. Ok, são apenas nomes e cheiros, né? Mas aqui em casa tudo é motivo pra rolar a besteirada.

Fabricio chegou da rua à noite mortinho da silva. Tinha dado aula de manhã, encarado o tribunal à tarde e dado mais aula à noite. Sendo assim, ele cambaleou pra dentro de casa, sapecou-me um beijo, largou a pasta, arrancou a roupa e passou direto pro chuveiro. Nessa ordem e nessa rapidez. Já falei que ele tem mania de banho? Pois tem. Se deixar ele toma uns quatro por dia. Minha mãe disse pra ele parar com isso porque gasta a pele e envelhece. Mas ele tá mais preocupado com os poucos cabelinhos brancos que estão despontando na vasta cabeleira negra dele (gostou dessa? estou treinando pra escrever romances água-com-açúcar de banca de revista...só tá me faltando agora o pseudônimo...alguma coisa como "Barbara Blade", sabe como é? Enfim, aceito sugestões, ok?) e nem liga pra pele ressecada e possíveis - eu disse possíveis e não existentes - sinais de rugas.

Mas então. Entrou que nem um bólide sob o chuveiro quente, deu aqueeeele suspiro e então percebeu que não tinha sabonete no boxe.

- Moreeeeeeeeena...
- Que foi, querido?
- Pega um sabonete pra mim?
- Claro...mas você tá cada vez mais parecido com o meu pai, sabia?
- Com o seu pai? Mas por quê?
- Porque ele é mestre de entrar no banho, se lavar todinho, sair pingando e então gritar a plenos pulmões: "toaaaaaaaaaaaaaalha!" pra ser atendido pelo primeiro filisteu que estiver passando por ali.
- Seu pai é o cara, eu sempre digo isso.
- Toma o sabonete, ó.
- Obrigado, Morena...
Saí do banheiro. Não dei nem três passos e ele chamou de novo.
- Moreeeena!
- Eita, mas isso virou festa da uva?
- Não reclama, mulher, esqueceu quem manda nessa casa?
- Não. Sou eu.
- Tá, é verdade, mas precisa esnobar?
- Fala logo o que você quer, criatura, vou preparar um leite quente pra você...
- O QUE?? LEITE DA NORMINHA?? Se tiver canela nessa xícara a jiripoca vai piar nessa casa hoje!
- Fala loooooogoooo, cáspita! - as gargalhadas me permitiram dizer.
- Ah, eu só queria saber como eu devo me sentir tomando banho com esse sabonete aqui... Relaxado? Refrescado? Energizado? ou Seduzido?
- Esse escândalo todo por isso?
- Escândalo não, mulher, eu estou exercendo os meus direitos!
- Direito de que?
- De saber exatamente qual a sensação este sabonete deve provocar em mim, oras!
- Mas isso muda em que, criatura?
- Ora, se você me disser que é pra eu me sentir seduzido, eu vou fugir dessa casa, porque eu to morto e não dou conta disso hoje não!
Eu continuei rindo.
- Pois esse aí é pra "energizar", meu filho....justamente pra você ficar mais animadinho...
- Aimeudeusdocéééééuuuu...


ahahahahahahahahhahahahahah
Óun...meu monstrinho...

quarta-feira, julho 01, 2009

Um mês de atualizações

Então, eis que depois de um mês de mutismo, cá estou eu de volta. Não, não estava de férias, não viajei pro Chile, não peguei gripe suína, não fui pra África do Sul assistir aos jogos da Copa das Confederações (mas torci que nem doida na final contra os Estados Unidos), não assisti ao Flamengo derrotar o Brasília por pouco na primeira final do NBB, não fui ainda bater panela na frente do Senado pedindo pro Sarney cair fora de lá, não fui pra FLIP (e odeio o Rodrigo, que foi e ainda me mandou email avisando que ia!), não acho que devolverem o "trono" ao presidente de Honduras vá trazer benefício algum, não vi a final do British Got Talent 2009 e não babo ovo da Susan Freak Boyle, não gostei daquele lixo de programa que a Globo inaugurou, e não, não estou pensando em ir ao enterro do Michael Jackson, muito embora lamente muito a perda.

Por outro lado esse mês foi LOTADO de coisas. Tantas, que nem deu pra sentar e atualizar o blog. Começou assim:

- Fabrício, dia 03 é meu aniversário e dia 12 é dia dos namorados!
- Ah, é?
- É! E o que você está planejando de muito romântico pra marcar a data?
- Err...
- Nadinha?
- Não é isso, Morena, é que eu sou ruim pra dar presentes...nunca sei o que comprar...
- Mas não precisa comprar nada, oras. Só queria que a gente passasse algum tempo juntos...algo especial, só nós dois, sabe?
- Tá, vou pensar sobre isso.

E aí ele me veio com uma viagem pra Cavalcante-GO, no Vale das Araras. Com mais QUINZE PESSOAS, daquelas dispostas a andar no mato o dia inteiro e subir as cachoeiras mais improváveis, só pra pegar uns carrapatos, tomar banho de água gelada e bater umas fotos. Aí eu dei um piti.

- Sabe, eu to achando que a gente foi morar junto muito rápido.
- Hein?
- É, a gente passou muito rápido daquela fase de namoro em que tudo era especial e acabamos caindo na rotina. A gente só resolve problema, trabalha, dorme e acorda no dia seguinte pra começar tudo de novo.
- Mas...
- Olha, eu sei que aniversário não significa muita coisa, ta? E sei também que essa bobagem de dia dos namorados é apenas comercial, mas seria legal a gente fazer algo especial...

Ele respirou fundo.

- Morena...era surpresa, mas eu combinei com o dono da pousada pra que o nosso chalé fosse todo preparado pra te receber, cheio de mimos...sabe, velas, espumante, essas coisas...e eu ia deixar pra te entregar lá, mas... - ele se virou e tirou de dentro da pasta do computador uma caixa - eu comprei isso pra você...

A caixa era da Vivara. Cara, cê não imagina o tanto que eu chorei. Que vergooooonha! Tadinho dele, eu odeio mulherzinha não é à toa...A Nayra fez questão de me ligar pra dar gargalhada da minha cara e depois disso, o Fabrício não perde a oportunidade de me cutucar e tirar sarro. Ok, eu mereço isso. Quem mandou ceder ao impulso faniquiteiro, né? Affe.

Antes de voltar ao assunto, pára tudo, eu tenho que falar de Cavalcante. Lá é lindo, lindo, lindo, eu recomendo muitíssimo pra quem quiser passar uns dias num lugar mega verde, silencioso, com passarinhos cantando, cachoeiras e montanhas em volta, uma pousada linda, com comida ótima e gente atenciosa em volta pra te atender. Vá pra Pousada Vale das Araras. Vale a pena.

Mas, agora, voltando finalmente aos acontecimentos do mês, eu fui pra Cavalcante, pra Uberlândia visitar a família e pra Belém pro casamento do irmão do Fabrício. Ouvi dois livros da Editora PlugMe, Memórias do Livro e Quando Nietzsche Chorou. FENOMENAIS.

Ah, dá licença de abrir mais um parêntesis aqui. Que grata surpresa eles foram! Memórias do Livro é uma história absolutamente envolvente por si só, e confesso que torci o nariz quando soube que quem narrava era a Cristiana Oliveira, ou, como diz o Fabrício, a Juma. Pra mim ela não passava de uma vesga canastrona, mas me surpreendi com o trabalho que ela fez narrando o livro. Ficou muito bom! Mas claro, o José Wilker eclipsou a moça quando comecei o Nietzsche. Ok, reconheço: as Memórias, como livro, é muito melhor do que o Nietzsche, mas o Zé Wilker é maravilhoso! A inflexão, o riso sutil e implícito na voz, ele pega o ouvinte pelo colarinho e não te larga até acabar as dez horas de narrativa! RECOMENDO, pessoas!

Ufa. O que mais, hein? (...) Ah, assisti às últimas temporadas de House e Grey's Anatomy, Wall-e, Rede de Mentiras, Albergue Espanhol, e uma outra recomendação valiosa! SETE VIDAS!


Pessoas, ASSISTAM A SETE VIDAS! Que filme genial, forte, comovente, bom demais! Eu nem vou falar dele, fica só a recomendação veemente, porque senão eu vou dar uma de spoiler aqui - como é característico de gente incontida - e não vai prestar.

Bom, afora isso? A cabeça anda girando com planos e possibilidades. Mestrado em Linguística? Faculdade de gastronomia? Concurso público? Aulas de dança de salão? (suspiro) Ai, ai. Que canseira. Acho que eu to precisando de férias. E claro, voltar a escrever, porque blog com teia de aranha ninguém dá conta, né?

Beijo pra todo mundo e desculpem o post quilométrico, mas num dava pra voltar pras besteiras nossas de cada dia sem zerar os acontecimentos. ;-) Fui.

domingo, maio 31, 2009

Sonho erótico

Ontem eu acordei de repente, no meio de um sonho daqueles. Daqueles meeeesmo.

- Que foi, Morena?
- Você nem vai acreditar!
- No que, mulher?
- No sonho que eu tive essa noite...
- E o que foi que você sonhou?
- Eu sonhei com duas mulheres se pegando...
- Hein?
- É, tinha duas...uma era meio que a Shakira, sabe? A outra tinha um quê de Sônia Braga...
- Geeente, precisava desse glamour todo?
- Ah, mas o mais interessante eu ainda não contei...
- O que?
- Bom, elas estavam lá, no maior amasso, né...uma cena linda, você tinha que ver...e de repente, você apareceu, peladão, se preparando pra entrar no meio da coisa...
- O QUE?
- Pois é...tava lá, pelado e de prontidão...
- Nooosssa!...e aí?
- Aí você foi andando pro rumo delas... animadão... apreciando a cena... só no aquecimento...
- E aí?
- Aí eu acordei.
- COMO ASSIM??? Ah, mas assim não dá!! Na hora que eu ia me dar bem você me sabota, mulher???
- Uai, mas eu não tenho culpa!
- Ah, não, isso não pode ficar assim...vem cá, deita aqui...isso, agora fecha os olhinhos e vê se termina o seu serviço!!!

quinta-feira, maio 21, 2009

Rosa de Cabaré

Eu comprei um colar com uma rosa negra muito bonita, de prender junto ao pescoço. Estilosérrimo. Único. Chic demais. Hoje eu usei pela primeira vez e recebi altos elogios. Mas, o Fabrício tem sempre que ser a nota dissonante, né?

- Fabrício, que cê acha da minha rosa?
- Er...
- Hein?
- Então...
- Você ta querendo me dizer que achou a minha rosa feia???
- Não é feia...é bonita...só que...
- Só que é feia!
- Não, Morena, é bonita...mas eu não usaria...
- Claro que não, ela não serve em você!
- Ah, é que ela é meio...cabaré, sabe?
- CABARÉ? Oooohhhh, audácia!
- Mas é bonita sim, Morena...principalmente pendurada no seu pescocinho...
- Nem vem, jacaré! É bonita, mas tem cara de cabaré, né? Afe! Então eu quero uma meia-arrastão!
- Não, nem pensar.
- Uai, por que não?
- Porque daqui a pouco você entra de vez no personagem e vai querer me cobrar, oras!

domingo, maio 17, 2009

Frase do dia

- Morena, minha cabeça está doendo...
- Qual a natureza da dor, querido?
- Como assim?
- Ué, é dor de analgésico, antiácido ou relaxante muscular?
- Ah, Morena, eu não tomo relaxante muscular, não...
- Eita, essa é novidade agora...e por que?
- Sei lá, me dá um medo...vai que o piru também amolece, né? Melhor prevenir que remediar...

sábado, maio 16, 2009

Boa noite

Noite de sexta feira e, depois de dias de secura e calor, chove nessa cidade. A semana se arrastou, o dia foi longo e há mil coisinhas prosaicas e rotineiras para serem resolvidas. Mas mesmo assim, mesmo tarde da noite, mesmo sem lua ou estrelas no céu, é uma noite especial. Mágica? Não...tórrida, eu diria. Uma noite que cheira a eletricidade. Uma daquelas noites em que, depois de algumas provocações e risadas maliciosas, os amantes se atracam com fúria, espalham as roupas e os lençóis e estremecem depois de algo semelhante a um estampido. Há dias em que a pele tem um cheio intolerável de cio e que os pêlos parecem se eriçar como um convite ao toque. Dias em que os corpos se amoldam um ao outro num encaixe perfeito e fantástico, que sacode o mundo todo e interfere até mesmo na gravidade. E os mesmos seres que há pouco se digladiavam e se contorciam, abraçam-se com uma ternura imensa e incontida, que salta dos olhos e da boca. Amor, ânsia, carinho transbordando. O coração serena aos poucos, enquanto os braços apertam ainda com mais força. Sussurros em dueto. Não vá a lugar algum, fique aqui comigo. Eu te amo tanto, eu te quero tanto. Você é tudo que eu sempre quis, agora eu sou feliz porque você está aqui. Apague a luz, me abrace. Durma bem. Boa noite.

terça-feira, maio 12, 2009

Post de Aniversário

Hoje, 12 de maio, é aniversário do ser mais maravilhoso, mais amado e mais besta do mundo: o Fabrício. Engraçado, parece que foi ontem que escrevi aquele post mimimi pro aniversário dele do ano passado, e andei pensando nos últimos dias no que escrever dessa vez. Ensaiei começar umas duas ou três vezes, mas não saía. Até que entendi o problema:

- Fabrício, eu tava tentando fazer um post mimimi pro seu aniversário, mas descobri que eu ando gostando mais de te sacanear ultimamente...

- Sua pérfida, mulher de coração pequeno, preto e peludo! Não cansa de me difamar naquele seu bloguezinho xexelento não, hein?

- Não!

- Ah, ta bom. Falem mal, mas falem de mim, então.

- Não reclama, menino, que você já tem até seguidores...o Thiago Apenas é adepto descarado da seita dos Adoradores da Infâmia, da qual você é Grão Mestre!

- Mas a Kacey gosta mais de você do que de mim.

- Uai, o blog é meu, não é? Alguém tinha que preferir a mim!

E a conversa nonsense seguiu nessa toada. Nem acredito como eu e o Fabrício gastamos saliva à toa. Aliás, resolvi como é que vou comemorar o aniversário desse serzinho este ano: contando o que ele teve a capacidade de fazer comigo essa noite.

Chegamos cansados em casa. O dia foi puxado, e resolvemos de comum acordo deixar as comemorações pro fim de semana. Preparei algo pra comermos, tomamos banho e fomos pra cama. Deitados no escuro, naqueles momentos de conversa profundamente inútil e sem nexo, ele me abraçou:

- Morena... – sussurrou, dengoso.
- Diz, meu amor... – fui receptiva e acariciei os cabelos dele.
- Você vai me dar presente de aniversário?...

Sem vergonha, cobri o sacripantas de presentes e ele tinha coragem de me dizer aquilo!

- Além de todos o que eu te dei?
- Mas Morena, aquelas são apenas coisas materiais...
- Ah, sei...você quer um presente imaterial?
- É, Morena...eu quero um presente profundo...significativo...
- Huumm, sei...
- Você vai me dar?
- Pode pedir o que você quiser, meu amorzinho...
- O que eu quiser? Posso mesmo?
- Pode...
- Ah, eu tenho vergonha...
- E você lá tem vergonha de alguma coisa?
- Ah, disso eu tenho...
- Então aproveita que estamos no escuro, amor, pode pedir...
- Ta bom, eu vou pedir...
- Pede...
- Morena...eu quero “aquilo”...
- “Aquilo”??
- É, Morena...você deixa eu fazer “aquilo”?
- Humm...pedindo assim com jeitinho, pode até ser...
- Então eu posso?
- Pode, amor...
- Oba!

E mais que depressa ele me apertou nos braços – de modo a me prender no abraço dele, imobilizando os meus braços – e ENFIOU A LÍNGUA NO MEU NARIZ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

- AAAAAAAAAAAAAARRRRRRRRRRRRRGGGGGGHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!

Eu urrei e me debati. Ele não sabia se me segurava ou se gargalhava.

- ME SOOOOOLTAAAAAA!!!!!
- Calma, mulher, não sacode desse jeito! Ai! Não me chuta! Espera!...Ai!

Eu fiquei possuída. Ah, não, gente. Liberalidade tem limite. LÍNGUA NO NARIZ é demais até pra mim!! Por fim ele não agüentou mais e me largou, dizendo, entre lágrimas de tanto rir, que eu podia bater que tinha valido a pena. Eu belisquei, mordi e acabei rolando de rir junto com ele. Maldito.

Então, hoje é o aniversário desse traste. Feliz aniversário pra ele. E eu desejo...vejamos. Amor eu dou, todos os dias. Realização ele está conseguindo paulatinamente – não contei que o bichinho acabou de virar Mestre? Saúde vai bem, entre os antiácidos e analgésicos cotidianos. Agora que venha o dinheiro, né amor? Então é isso que eu te desejo nesse aniversário: muito dinheiro e muita paciência comigo! E fica frio, seu bolo de chocolate com brigadeiro e mais chocolate vai sair, ta? Sábado eu faço. Prometo.

segunda-feira, maio 11, 2009

Recepção Romântica

Esse fim de semana eu fui pra Uberlândia ver minha mãe. O Fabrício, que tinha defesa de mestrado na sexta à noite, não pôde ir comigo e ficou sozinho em casa. 

Ah, já que toquei no assunto, conto a quem interessar possa, que o mocinho passou e que agora tenho um Mestre dos magos em casa. Claro, aí eu tirei do bolso a faixa em que eu tinha pintado "EU JÁ SABIA" e dancei, adivinha o que? Cara-caramba-cara-caraô de tanga, é claro! Tadinho, ficou tão nervoso que depois de apresentar passou o fim de semana jogando um joguinho besta de quebrar bloquinhos no Wii pra ver se esvaziava a cabeça.

Bom, voltando ao assunto. O fim de semana com mamis envolveu a clássica visita ao salão de beleza. Cortei o cabelo, hidratei e, depois de mais de dois anos intocado, fiz escova e fiquei com as madeixas lisas. Tirei uma foto e mandei pro Fabrício, que disse que aquela era "a outra Morena" e que agora ele tinha duas. Óun.

Aí, quando cheguei em casa ontem à noite, ele olhou pra mim, fez uma cara angellical e tacou essa:

- Morena...o boi lambeu o seu cabelo?
- ¬¬

E jurou de pés juntos que tava morto de saudades. Eu mereço.

quinta-feira, maio 07, 2009

A Maçãzinha

Olha, vamos fazer justiça de uma vez por todas nesse blog! O Fabrício tem mania de dizer que eu tenho o coração pequeno, preto e peludo, mas TEM HORAS QUE EU TENHO RAZÃO, carambolas atômicas!

Veja bem: o maldito comprou um Macbook Pro 17":

ESTA merda.

Agora é um tal de "minha maçãzinha pra cá, minha maçãzinha pra lá" e o cacete a quatro. Leva a porcaria pra cama, fica horas entretido com ela e grunhe quando eu falo com ele. Ou seja: arrumou uma amante!

E hoje, deitado na cama, ainda disse assim pra mim:

- Morena, pega a maçãzinha e o modem aí pra mim?
- QUE? Além de querer levar a sua amante pra NOSSA CAMA, eu ainda tenho que pegar a coisa pra você????

- Mas Morena...ela é tão linda...e essa cama tá tão vazia sem ela...
- Aaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhh!!!!!

Fui pra cima dele com a cara igual ao meu suposto coração: preta, peluda e cheia de dentes arreganhados. Ele fez um ar constrito:

- Mil perdões, Morena...só você que é linda e eu só amo você...

Claro que essa conversa fiada não me convenceu. Mas como sou uma moça muito pacífica e empenhada em preservar a sacrossanta paz do meu lar, peguei a porcaria da mala da maçãzinha e joguei o modem nele. Ah, é daqueles 3G da Claro, nem fiquem com pena dele não, que nem deu pra machucar. Infelizmente.

Ele pegou a pasta preta, tirou a tranqueira moderninha de dentro e colocou a coisa no colo. Ligou e ficou lá, com a "outra" sobre os joelhos, na maior safadeza. E ainda por cima, jogou todos os invólucros DO MEU LADO DA CAMA. Aí, eu parti pra pancadaria.

- FABRÍCIO!!!! Além de me pedir pra te trazer a sua amante e ficar com a fulana arreganhada aí no seu colo BEM NA MINHA CARA, você ainda tem a DESFAÇATEZ de JOGAR A ROUPA DELA NO MEU LADO DA CAMA??????

Ele me lançou um olhar de rabo de olho, pensou em fazer piada (eu vi, conheço meu eleitorado), mas mudou de idéia e catou tudo rapidinho e jogou no chão.

- Pronto, Morena, pronto...ó! Limpinho, arrumadinho pra você...

E começou a passar a mão na cama em círculos, me olhando com cara malandra.

- Vem pra cá, vem...tô esquentando a cama pra você, ó...

- Olha, meu filho, pra me propor um menáge você precisa de um pouquinho mais de empenho, viu? Se essa sirigaita aí se abre toda quando você pega nela, eu não sou assim não, tá?

- Uai, então depois não reclama da concorrência...quem não tem competência, não se estab...

Ele não pôde continuar, precisou de toda a concentração pra se desviar do controle da televisão que eu taquei nele e ainda proteger a porra da maçãzinha. Acho que vou vender essa merda...alguém aí se interessa??

quarta-feira, maio 06, 2009

A melhor sentença que eu já vi


ISSO é que é sentença boa!!! ahahahahahahahahha...

*agradeço ao infame-mor, senhor Fabrício, que me deu essa preciosidade.

domingo, maio 03, 2009

O Troco

Eu não sou uma pessoa que acorda cedo, fato. Nem o Fabrício. Por isso, aqui em casa já se instituiu que fim de semana é feito, antes de mais nada, para dormir. Aí lá pelas tantas um acaba levantando da cama e puxando o outro - geralmente muito perto das dez horas da manhã.

Hoje não foi diferente. Ele se levantou, escovou os dentes e foi pra cozinha. Eu pensei: ah, é agora.

- Fabríííí-ciôôôô... - aquela voz de dengo, chamei lá da cama.

Ele pôs a cara no quarto e perguntou:

- Oi, meu amor. Que foi?
- Você vai me alimentar??

(ahahahahahahahhahahahahaha...ai, ai, ai, eu nem gosto de vingança, mas algumas são tão doces!)

Ele riu e surpreendentemente disse que sim. Voltou pra cozinha e começou a lidar por lá. Fiquei curiosa, pulei da cama e fui ver. Que gracinha...fazendo café, colocando pão de queijo pra assar (eu nem sabia que ele tinha aprendido a mexer no forno!), montando a mesa com o jogo americano, a louça...morri de orgulho.

Fui eu então para o banheiro escovar os dentes e acabei lembrando de uma coisa. Chamei de lá:

- Fabrício, a gente precisava ligar pro Fulano, né? Tem o maior tempão que não falamos com ele!

- É mesmo. Liga aí, liga.
- Por que eu?

Ah, pra que eu perguntei isso? Ele veio da cozinha subido em cima das tamancas, gesticulando com o pano de prato.

- Ê, mas o que é que custa, mulher? Num to aqui, ralando pra te alimentar, saco sem fundo? Por acaso eu reclamei? - e fazendo voz fininha - "Fabrício eu to com fome"...TÁ BOM, TAMAGUSHI! Já to providenciando, não tô? CUSTA ligar pro Fulaninho?

Eu liguei, gente. Assim que eu consegui levantar do lugar onde eu caí. As pernas ficaram moles de tanto que eu gargalhei. Porra, eu achei que ia conseguir morrer sem ninguém me chamar de Tamagoshi. Quase.


*PS: ele mandou dizer que eu plagiei descaradamente o bordão dele e que vai me cobrar royalties por isso.

sábado, maio 02, 2009

Programa de Sábado

Sábado aqui em casa é dia de fazer tudo que a gente não faz durante a semana porque:

1. não dá tempo;
2. se está morto de cansado;
3. se está de saco cheio.

Aí, sábado a gente pendura televisão na parede, arruma fiação elétrica, organiza a despensa, pendura quadros na parede, joga um monte de coisa fora, organiza centenas de livros nas prateleiras, arruma gavetas que estão emperradas, faz supermercado, corta o cabelo...e uma infinidade de outras coisas.

Hoje não é exceção. Minha mãe pintou dois quadros enormes pra cabeceira da nossa cama e o Fabrício começou o dia furando a parede. Aí, aproveitou o ensejo e catou as gavetas do armário que estavam emperradas e não fechavam direito e fuçou à beça lá. Por fim, levantou dizendo, exultante: pronto! O que significa que elas agora emperram MENOS e não que estão totalmente consertadas, claro. Aí, como recompensa, eu fui lá fazer um carinho nele:

- Vem cá, homem suadinho...deixa eu dar um beijinho...
- Eu sou o máximo, olha como a gaveta está linda!
- É, amor, tá linda...hum...que beleza...suadinho, fedidinho...
- FEDIDO NÃO!
- Tá, não tá fedido, não...isso é cheiro de macho...
- É, cheiro de macho! Hoje eu to no "modo peão", o intelectual ficou de lado...

Aí ele deu uma cheirada no ar.

- Hum, Morena, você não passou desodorante?
- Passei sim...e eu acabei de sair do banho, né?
- Então isso sou EU?
- É...
- CREDO!

Me empurrou de lado e saiu correndo pro chuveiro. Eu disse que tava fedidinho, não disse?

quarta-feira, abril 29, 2009

Conversa super normal

Lá pelas sete e meia da noite, toca o telefone, é o Fabrício, que, diga-se de passagem, só vai chegar em casa às onze porque hoje é dia de vestir a pele do intrépido professor e fazer showzinho na faculdade. Sim, showzinho, porque em se tratando dele, meu amigo, isso sequer cai na corriqueira e recorrente classificação de exagero da Lívia. Acredite. Ô, homenzinho...

Bem, mas toca o telefone:

- Morena?
- Oi, meu amor.
- Por que você demorou a atender o telefone?
- Porque eu tava tentando tirá-lo de dentro da minha pasta...
- Humm...
- Colou?
- Não, mulher, vão ser 60 chibatadas quando eu chegar em casa!
- Humm...oba!
- Opa! Não desvirtua o assunto não!
- Tá, e o que é que você quer, então?
- Quero saber se você me ama... (imagine o tom de voz mais safado do mundo)
- Amo sim. E por isso eu tenho que fazer...
- Ô, mulherzinha esperta, me mata de orgulho!
- FALA LOGOOOOO!
- Ta bom, ta bom...Morena...será que você pode me alimentar quando eu chegar em casa?
- Te alimentar? ahahahahhaha...Depois não quer que eu te chame de Rex, né?
- Pô, mulher, eu to aqui, todo vulnerável, sendo sincero e você me sacaneia?
- Ok, ok...o que você quer?
- Eu tava pensando...você podia fazer um pãozinho pra mim...
- Sei...
- E aí eu podia pegar aquele franguinho que você fez no almoço...
- Ahã...sei...Ó, o pão pode até sair, mas o franguinho não tá fácil assim, não, viu?
- Ah, Morena, tá sim...Franguinho, galinha...Galinha é tudo fácil...
- FABRÍCIO!!!!
- Mas Morena...
- Vou fazer o pão. TCHAU!

Cinco segundos depois, o telefone toca de novo. Eu atendo rindo, já imaginando a merda que vem de lá.

- Oi, que foi agora?
- Morena, isso merecia ir pro blog, né não?

Gargalhadas. Desligamos sem dizer mais nada. Essa casa é um hospício, esse homem é um descompensado e eu fico na dúvida se estou internada aqui ou se estou tomando conta da porta pra ele não fugir...

domingo, abril 12, 2009

Cresça

Gostaria de saber se algum dia eu vou poder me livrar da fatídica pergunta "o que você quer ser quando crescer?" e suas várias variáveis. O que eu quero ser? Afinal, eu tenho que querer ser alguma outra coisa que não isso que eu sou agora. Do contrário, estou morta, não estou indo pra lugar nenhum e nem realizando nada novo ou digno de reconhecimento. Aliás, é engraçado: eu tenho que querer crescer e tenho que querer fazer alguma coisa quando estiver crescida. E se eu não quiser? Ou se não tiver a menor idéia do que poderia porventura fazer quando finalmente me tornasse uma mocinha crescida? Sabe, o que mais impressiona é que nunca nada é suficiente. Nenhum esforço, nenhuma quota de sacrifício, nada. Tudo não passa de contingências, de consequências necessárias que sequer merecem menção. Ora, não quis? Aguente! Ora, não escolheu? Lide com isso da melhor maneira que souber. E se não souber, invente. De qualquer forma, se vire. É isso que se espera, é isso que se deve fazer. E claro, não se esqueça de arrumar um rumo para onde ir enquanto isso. Um rumo respeitável, ressalte-se. Não pense que idéias e atitudes prosaicas serão toleradas ou aceitas - elas não serão. Vai, pense grande! Não importa se você não quer, se você não sente necessidade. Você tem que sentir, oras! É natural, é lógico, é inevitável! Anda, cresça. Está na hora. E não venha me dizer que isso violenta a sua natureza, isso não existe. Até criança responde isso, até criança é capaz de tecer um sonho pra perseguir. Mas que seja um sonho prático, castelos de areia também não serão tolerados. Aqui o negócio é duro, minha filha. Vai, se adapte, se esforce, corra atrás. Eu tenho certeza que você vai acabar gostando, que você, um dia, vai se descobrir querendo também. Só precisa começar. Vai.

quarta-feira, abril 01, 2009

Primeiro de Abril

Hoje Fabrício e eu completamos um ano de relacionamento. Não de namoro, porque a gente já mora junto há oito meses, então meio que já transcendemos isso. Além disso, o Luís Fernando Veríssimo diz, com muita propriedade, que as pessoas passam de namorados a amantes quando fazem sexo um com o outro durante dois anos ou dezessete vezes consecutivas, o que vier primeiro...então... *assovia e faz cara de paisagem*...Por outro lado, minha chefe diz que quando a gente "come um pouquinho de sal juntos", ou seja, passa por problemas juntos, não é mais namorado, já está mesmo é casado. Bem, são muitas teorias, né? Em todo o caso, acho que em se tratando de nós, continuaremos namorados por muito tempo ainda. Nunca vi duas pessoas pra serem mais bestas do que a gente. Não sei se somos bestas mesmo, ou se isso é influência um do outro...o fato é que hoje completa um ano que essa conversa aconteceu, e eu tenho a sensação que temos piorado sensivelmente com o passar do tempo, sabe?

Hoje será um dia meio cheio, então resolvemos comemorar ontem mesmo. Ele saiu mais cedo do trabalho, foi me buscar no meu e viemos pra casa. Ficamos um tempo nos curtindo, coisa que o corre-corre cotidiano acaba dificultando, ou pelo menos diminuindo...aí fomos jantar. 

Cara, um parênteses: se você vier a Brasília e gostar de sushi, você TEM que ir ao Sumô, na 204 Sul...aquilo é o paraíso do peixe cru!...rs

Bom, mas voltando...jantamos muuuuito bem, ficamos no restaurante conversando um tempão depois, rindo, fazendo planos, trocando idéias...engraçado, com o Fabrício é sempre assim. Mesmo quando ele está agoniado com alguma coisa, preocupado com algum problema, ele nunca se cala e fica alheio...sempre dá um jeito de me incluir, de me trazer pra dentro do mundo dele, deixando claro que eu ocupo um lugar bem no meio dele - como ele ocupa no meu.

Saímos do restaurante e paramos no posto pra abastecer o carro. Enquanto ele cuidava de assuntos práticos do lado de fora, eu me senti daquele jeito meio "amo o mundo inteiro", sabe? Catei o telefone e mandei um "te amo" pra duas amigas queridas, pra minha mãe e pra ele. Ele voltou, deu partida e me olhou com estranheza enquanto dirigia:

- Hein?
- Hein o que?
- Por que você me mandou mensagem se podia ter me dado um beijo ao vivo?
- Ah, é que eu mandei essa mensagem pra Nayra, pra Déia, pra Mamis e aí resolvi mandar pra você também...

- O QUE? Quer dizer que nós estamos aqui, em plena comemoração do nosso aniversário, você resolve amar o mundo inteiro e ainda me joga no meio do bolo, como se eu fosse um qualquer???

Ele gesticula enquanto fala parecendo que não precisa das mãos pra dirigir.

- Mas...
- Nããão, eu tenho certeza que você nem ia mandar nada pra mim e resolveu incluir meu nome no final, assim, já que não tava fazendo nada e eu tava ali, dando bobeira...

Eu comecei a gargalhar, ele seguiu impávido no discurso:

- Aliás, essa comemoração de repente perdeu todo o significado! Esse jantar tá até me fazendo mal, me sinto conspurcado!

Eu rolava de rir. Ele arrematou:

- Eu vou vomitaaaaaaaaaaaaaaaaaaar! - e começou a rir também.

Depois de alguns minutos de riso, ele considerou:

- Pronto, agora você pode colocar esse diálogo no blog..."Aniversário de Namoro"...olha que romântico!
- Ah, querido, nem dá pra colocar isso lá...

Ele estaciona o carro e descemos.

- Por que?
- Porque, meu amor, mesmo que eu seja muito hábil na escrita, das duas uma: ou as pessoas vão achar que você é um monstro bruto sem romantismo e eu uma idiota por estar com você, ou vão achar que esse "vomitaaaaar" tem mais viadagem do que deveria e que eu continuo sendo uma idiota!

- Agora eu vou vomitar meeeeesmo! NO SEU PÉ!
- SAI PRA LÁ, FABRÍCIO!!!!
- Nãããão, vem aqui, vai ser um vomitado romântico!!!

quinta-feira, março 19, 2009

Lógica Irretorquível

Já reparou que quando a gente deita na cama à noite pra dormir, a conversa nunca presta? Pois aqui em casa a coisa é ainda pior que de costume.

- Você sabe quais os meses que dá caranguejo gordo?
- Hein?
- É...os meses em que o caranguejo é mais gordo...
- Ah, isso é cultura de paraense, Fabrício...
- Nem é.
- Claro que é. Vocês que gostam de caranguejo!
- Não somos só nós, oras.
- Ok, quais são os meses?
- Os meses com R...
- R? Tipo "-bro"?
- Meses com R. JaneiRo, feveReiRo, maRço...quase todos, menos maio, junho julho e agosto.
- Noooossa...
- O rei da cultura inútil!
- Nem era isso que eu ia dizer...mas já que você disse...onde foi que você aprendeu isso?
- Em lugar nenhum, eu inventei agora.
- Quê??
- É.
- Então você tá mentindo pra mim, seu porcaria??
- Claro que não, morena...eu só minto pra você quando chego tarde em casa...

Ela belisca ele.

- Você sabe que só não vai dormir do lado de fora, no corredor, porque eu já to deitada e to com preguiça de levantar daqui, né?

- Claro, meu amor...eu sou praticamente o Rex dessa casa...
- Isso, um homem consciente vale por dois...

Nisso ele começa a lamber o braço dela.

- Que que isso???
- Ué, o Rex dando lambidinhas...
- Ai, pode parar com isso que eu já tomei banho e você vai me deixar cheirando a saliva!
- Ô mulher, e aquela história de banho de língua super sexy que você me contava?
- Era mentira também, oras. Direitos iguais.

sexta-feira, março 13, 2009

Lívia motorista

Ao telefone:

- Fabrício, tirei porte de arma!
- Hein??
- É, passei na prova!! Agora eu tenho carteira!
- Oh, céus! Isso é muito preocupante!
- Diga parabéns, seu coisa ruim.
- Parabéns, Morena! Que maravilha, meu amor!...mas que é preocupante, ah, isso é!
- Affe! Pois saiba que o examinador disse que eu dirijo bem, ta?
- Um insano, isso sim. Exijo que seja examinado por uma junta de médicos competentes!
- Reconheça: eu sou foda!
- Claro que é, eu reconheço!...mas me fala uma coisa...
- O que?
- Você prefere que sabor de biscoito?
- Biscoito?
- É. Eu vou sair agora pra comprar uma lata...dou os biscoitos pra você e uso a lata pra esconder a chave do carro.

A resposta que foi berrada ao telefone não deve ser transcrita aqui, pois este é um sítio de respeito. Boa noite, Fátima, boa noite, William.

quarta-feira, março 04, 2009

Ah, tá explicado

CUIDADO COM MAL-ENTENDIDOS! A POLÊMICA ESTÁ NO AR!

Marte em quadratura com Mercúrio natal

DE: 24/02, 1h44
ATÉ: 10/03 , 3h23

Alerta vermelho, Lívia! Entre os dias 24/02 e 10/03, um choque entre o Marte do céu e o Mercúrio do seu mapa de nascimento pode indicar um período em que mal-entendidos podem ocorrer. Discussões desnecessárias podem ser iniciadas por conta de você dizer algo sem pensar. Vale aqui cultivar o máximo de bom senso, para saber quais discussões realmente valem a pena. (...) Por conta de uma possível impulsividade mental, convém evitar neste momento tomar decisões muito importantes, assim como evite assinar contratos ou fazer acordos. O risco é de você não ler direito as entrelinhas. Pequenas viagens também devem ser evitadas, mas se não tiver jeito, não é preciso ter medo, apenas um pouco de atenção, pois incidentes podem ocorrer, nada de grande monta, mas imprevistos que podem fazer você se chatear.

Há também uma predisposição de sua parte a "entortar" as coisas e fatos de acordo com uma visão excessivamente pessoal. Assuma um compromisso com a importância de atos justos, e você evitará a tendência a dizer coisas ou tomar atitudes que não são muito corretas.

Pequenos incidentes podem ocorrer no que diz respeito aos seus afazeres diários simples, mas tudo isso pode ser evitado se você tiver um pouco mais de atenção. De todo modo, evite se estressar por conta de situações corriqueiras: neste período, pequenas coisas poderão lhe parecer mais chatas do que nunca, e você estará com uma tendência maior a reclamar. Na verdade, Lívia, você está com uma predisposição maior a discutir. Mas, não há o que temer. É uma simples questão de tomar consciência do processo, cultivar o silêncio e evitar a todo custo julgamentos precipitados - que tendem a ser a marca registrada deste momento. Por sinal, em casos de testes, cursos e concursos, cuidado com uma tendência a dar respostas precipitadas. Você pode até ter certeza absoluta de alguma coisa, mas depois perceber que se equivocou, que se apressou demais.

terça-feira, março 03, 2009

Um momento para as lágrimas

Às vezes me dá vontade de te escrever cartas. Cartas que talvez milagrosamente pudessem fazê-lo entender aquilo que eu sinto e não consigo expressar direito. Cartas que tivessem o condão de fazer com que você também sentisse aquela coisa besta e sem sentido que às vezes me faz ficar amuada e me impede de dormir quando as luzes se apagam. Cartas que explicassem o que me faz chorar - muitas vezes em silêncio - e que você não entende quase sempre (sim, eu percebo). Se cartas pudessem trazer algum bem, talvez eu as escrevesse. Mas quase sempre elas se mostram inócuas, talvez por deficiência daquela que as escreveu e não soube imprimir nelas nada de mágico e transformador. Muitas vezes cartas só servem mesmo para desabafar, pra dar um tempo determinado praquele choro acabar - o tempo da carta terminar, depois disso enxugue tudo e cale a boca, ao menos até a próxima vez. E você nem gosta de cartas, eu sei. Mas eu também sei, já aprendi, que muitas vezes você é o ensejo para que as cartas nasçam. Às vezes você me deixa sozinha, me diz de um jeito sutil que eu estou exagerando, ou me importando com besteiras ou que você não está mesmo entendendo nada do que eu estou falando e isso faz com que as cartas sejam necessárias. Para colocar as idéias em ordem, pra colocar pra fora o que ficou entalado na garganta e não deu tempo de sair porque o tempo pra falar acabou. Às vezes você não deixa. Às vezes eu queria sentir um pouco menos e pensar um pouco mais. Ou talvez parar de pensar tanto, também. Acho que eu sofreria menos. Mas será que um dia você vai entender finalmente que o meu jeito de me relacionar com as coisas é através de catarse? Que eu só entendo o mundo me colocando nas mais diversas situações, estimulando meus sentimentos pra ver o resultado? Dá pra entender que esse é o meu jeito de me conhecer e conhecer a vida? E que você podia responder na mesma medida só de vez em quando? É, talvez isso seja um saco e eu peço desculpas por isso. Eu garanto que também me canso de ficar sozinha no escuro açoitada por um monte de coisas ruins em vez de abraçar o travesseiro e dormir sossegada. E, mais que tudo, eu me canso de me sentir sozinha.

domingo, março 01, 2009

Check List

Ai, ai, miséria pouca é bobagem, né não?

12:45 e esta que vos fala está MORRENDO de sono. Escova os dentes, prepara a cama, tira as lentes de contato e se enfia embaixo das cobertas, chamando o digníssimo consorte pra cama do jeito mais doce do mundo.

- Fabríciô...vem dormir, vem, meu amor...
- Hum - ele, de olhos grudados num joguinho no notebook, GRUNHE em resposta.
- Fabríiiicio...
- Anh...
- Affe.

Ela desiste, vira pro lado e está resolvida a dormir. Mas a pobre não consegue dormir de luz acesa. E digamos que está mal acostumada a dormir com abraços e carinhos toda noite. De luz acesa e sem um chameguinho sequer, resolve apelar. Faz a voz docinha de novo e diz assim:

- Sabe, Fabrício, eu tenho um check list...

- Check list? - sem tirar os olhos do computador.

- É...um check list pra poder dormir...eu escovo os dentes, tiro as lentes de contato, tiro a roupa, apago a luz e me viro pra dar um beijo no mocinho deitado ao lado...

- E daí?

- Daí que o check list num tá completo e eu não consigo dormir! Olha isso! A luz tá acesa e a cama tá vaziiiiiiiia! Você não tem pena? Tô aqui tão sozinha, meu pé tá gelaaaado, vem deitar, vem...?

Sem tirar os olhos do maldito joguinho, ele arremata:

- Vem cá, tudo isso é pra me convencer a apagar a luz?

*toma calmante e morre*

quarta-feira, fevereiro 18, 2009

Esquizofrenia

Imagine um casal praticamente normal. Praticamente. Claro, ela tem medo de palhaço e ele acha que 69 é mais barato que 59 ou 49. Coisa pouca, sabe? Inofensivos, quase. Quase.

Deitados na cama...não é que eles só fiquem na cama, não, é que as melhores tiradas nascem dali. Sei lá, talvez a posição oxigene o cérebro, né? Bom, mas continuando. Deitados na cama, o clima é íntimo, eu diria quase romântico - se o romance nessa casa não fosse assassinado diariamente por sacanagens recíprocas. Eles se beijam, trocam carícias e a coisa esquenta. Aí a câmera pára de focalizar a cama e aponta pra janela, onde as árvores se balançam ao vento e os passarinhos cantam. Momentos depois, ela volta a enfocar a cama, onde os dois estão abraçados e meio suados. Um daqueles momentos deliciosos, que todo mundo quer pra si e que muita gente estraga virando pro lado e dormindo, sabe como é? Pois bem. Eles estão ali, abraçados, deixando a respiração normalizar, quando de repente ele se contrai todo e exclama:

- Ai, peraí, isso é putaria!

Atônita, ela pergunta:

- Do que você tá falando?
- Você passou a mão no meu saco!
- EU? Eu não!
- Claro que passou, EU SENTI!
- Ah, meu filho, então você tá com problemas, porque EU não passei a mão no seu saco!
- Então pára tudo! ALGUÉM PASSOU A MÃO NO MEU SACO!!!!

As gargalhadas dela foram tão altas que chegaram a abafar os protestos dele. Com as lágrimas rolando, ela conseguiu dizer:

- Quer dizer agora que o seu saco tá que nem antena, pegando sinal cruzado? Vixi! AM e FM?

Foi o tempo dela pular da cama e se trancar no banheiro, senão tinha acontecido uma tragédia. Incrível que mesmo sem virar pro lado e dormir os homens estragam o momento mágico do "depois", né??

;-)

quinta-feira, fevereiro 12, 2009

Gente normal é assim

Eu não lembro mais que carro era, se era o novo Civic, se era o Corolla. Sei que custava R$ 69.000,00 e que o Fabrício estava lá, escovando os dentes, com meio corpo fora do banheiro assistindo ao comercial do carro na televisão. Voltou pro banheiro, terminou a escovação e saiu pensativo.

- Sabe, Morena, eu tenho problemas...
- É? Me conta uma coisa que eu não sei...
- Bom, você sabia que era assim quando comprou...
- É, tá certo, eu sabia. Mas por que essa conclusão agora?
- Você viu o anúncio do carro?
- Vi.
- Engraçado, sempre que anunciam algo por 49.000 ou 59.000 eu acho caro. Mas quando o preço é 69.000 eu não acho...
- Hein?
- É, 69 me soa mais barato.
- É, de fato você tem problemas...isso é coisa de numerologia?
- Não, eu não sei nada disso...
- Bom, menos mal...se soubesse eu ia seriamente começar a desconfiar da sua masculinidade!
- Ô, mulher! Cadê o respeito?
- Uai, você também sabia que era assim quando comprou...
- Negrinha insolente...

quinta-feira, janeiro 22, 2009

Mais rapidinhas

Ela está sentada ao computador, quando ele se aproxima, traçando um potinho de granola com iogurte - dieta, babe!!! Ela se vira e o abraça pela barriga.

- Posso abraçar você?
- Uai, você abraça e depois pergunta?
- Ah, é só pra legitimar um estado...que nem casar grávida!

Ele cai na gargalhada, engasga e declara do jeito que dá:

- Ponto pra você. Essa eu queria ter dito.

terça-feira, janeiro 20, 2009

Impotência

Tem coisa pior que não ver nada do que você faz surtir efeito?

Qualquer um que já tentou durante horas cancelar um cartão de crédito ou uma conta de telefone, sabe o que eu estou sentindo agora. Qualquer um que já tenha sido jogado de setor em setor numa repartição pública, sabe a merda que tá entalada na minha garganta agora. Qualquer um que já tenha se visto atolado em desordem e coisas para fazer, já sentiu o que escorre pelos meus olhos nesse momento. Qualquer um que já tenha sentido uma enorme vontade de gritar e quebrar coisas, sabe o que eu queria demais estar fazendo agora.

Mas, impotente que estou (sou?), nem chorar direito posso. Quanto mais gritar e quebrar. Então me sento aqui que nem uma idiota e saio digitando verborragicamente palavras inúteis. Tão inúteis quanto todo o resto. Quanto eu mesma.

Porra, que merda.

sábado, janeiro 17, 2009

A morte total e definitiva do Romantismo

Sete e meia da noite, vamos receber uns amigos pra jantar às oito. Esta que vos fala anda de um lado para o outro na casa, ajeitando a bagunça do "filho" de barba que ela arrumou. Eita homem bagunceiro do inferno!!! Eis que de repente, ela entra no banheiro para pendurar uma toalha - que o dito cujo deixou largada em qualquer lugar, por suposto - e o filustreco está lá se perfumando, recém saído do banho.

- Hum, que cheiroso...
- Gostou? É pra minha namorada.
- É? Uma nojentinha, que sente cheiro de tudo e reclama pra caramba?
- É, eu tenho que ficar cheiroso, senão ela me larga...

Imagine o indivíduo com a maior cara de cinismo do mundo.
Ela, querendo fazer um agrado, replica:

- Imagine, meu amor, a nojentinha não te larga nem se você estiver suado e coberto de penas...
- Coberto de penas?
- É, ora. Imagine, você todo preguento de suor e ainda cheio de penas por cima...nem assim eu te largava!

Ele pensa por um momento e dá a tacada de misericórdia:

- Morena, isso não precisa ser recíproco não, né?
- HEIN?
- Anda, passa logo pro chuveiro, mulher!

***AQUI JAZ O ROMANTISMO***

quarta-feira, janeiro 07, 2009

Dieta

Ano novo, vida nova, né? Aqui tem uma lista de resoluções de ano novo para serem cumpridas. Afinal, de acordo com a minha sogra, 2009 é ano 2 na numerologia e que por isso é ano de realizações. Deixa eu ir ali ver o que isso significa, pera. É, segundo esse cara aqui, é um ano pra encarnar a Shenna (ou seja lá como se escreve isso) e matar um leão. Ou algo que o valha.

Eu não dou muita bola pra essas coisas, mas mesmo assim, esse ano será significativamente diferente. E pra começar, estamos de dieta aqui em casa. Aquela dos pontos, sabe? E como seria de se esperar, o diário de comida ingerida e as contas ficaram por minha conta, mas tem um fulaninho aqui que mal começou a dieta e já jura que eu o estou sabotando. A figura come o que quer e quando eu vou lá, na maior boa vontade anotar o que ele comeu e contabilizar quantos pontos foram, ele me acusa de estar SUPERFATURANDO a refeição dele! E ainda emenda, cheio de razão, que eu estou roubando na minha contagem, porque NÃO É POSSÍVEL que os meus pontos sejam tão menos que os dele!!! 

Ora bolas! Se eu não estivesse tão tonta de fome e se aqueles benditos chocolates ali não estivessem cheirando tão forte, eu juro que tomaria uma providência séria contra este infame. Ai, que fome. Caramba. Olha, tem duas latas de leite condensado ali, ó... Humm...capuccino...sorvete de creme...mousse de chocolate...AI, MEU DEUS, SOCOOOOOOOORRO!

*pula da sacada*