segunda-feira, agosto 16, 2010

Um pouco surda

Então, eu estou surda. What a hell? Sim, surda. Há uns dois meses meu ouvido esquerdo começou a parecer meio "entupido" quando eu tive uma puta gripe. Já tinha acontecido antes, então não me alarmei - esperei voltar ao normal. Entretanto, isso não aconteceu e, na semana passada, eu comecei uma procissão por consultórios médicos. Otorrino, fonoaudiologista, neurologista. O resultado parcial da situação é que a surdez do meu ouvido esquerdo não tem origem em nenhum "entupimento". Então o pessoal agora vai esquadrinhar a minha cabeça pra saber se é alguma lesão coclear, se é um tumor no ouvido, se é algum dano no cérebro, etc. E sabe, isso não tem sido nada legal. No primeiro dia em que o otorrino me disse que podia ser neurológico e talvez definitivo, eu desabei legal. Afinal, veja só, é uma deficiência, né? Significa perguntar "o que?" quando as pessoas falarem comigo, pra sempre. Ou significa usar um aparelho de surdez. Talvez signifique uma cirurgia - justo eu que morro de medo de agulha e bisturi! Então, era mesmo pra me detonar. Mas aí eu fiz uma força, no melhor estilo Rory Gilmore, para pensar nos pontos positivos da coisa. O que? Pontos positivos em perder a audição??? É, eu sei que parece forçado e, se serve para melhorar, não foi nada fácil encontrá-los e eles são muito, muito poucos: 1. eu poderia me candidatar às vagas especiais de concursos públicos; e 2. eu poderia comprar um carro com isenção de impostos, na condição de deficiente. Grandes merdas, comparado a perder a audição de um ouvido, né? Eu também achei. E ainda por cima, o Ministério Público está lutando pela inclusão dos deficientes auditivos no rol dos beneficiados pela isenção do imposto sobre carro, porque até agora, se você tem deficiência auditiva, parcial ou completa, você que se lasque, porque ninguém vai facilitar a sua vida te dando desconto pra comprar um carro. Aí, eu fiquei só com o concurso público que, por sinal, eu não tenho a menor vontade de fazer. (suspiro) Enfim, essas são as novidades. Vamos ver como fica. Em todo o caso, o choque já está menor e estou lidando melhor com isso tudo. Quando eu tiver uma reposta, conto pra vocês. Beijo, people.

3 comentários:

Fernanda ;* disse...

Olá Livia querida!
Desculpe o querida aí de cima... mas leio tanto o seu blog que já me considero íntima.
Olha, não precisa se preocupar não.
Sou fonoaudióloga, e queria dizer que essa sensação de plenitude auricular (ouvido meio entupido, como vc disse) não necessariamente indicam que você vai ficar surda! Pode ficar tranks... Pode ter sido uma otite média, por causa da gripe... e nem sempre as otites são sintomáticas (como dor, ouvido "purgando" e etc). Pode ser que sua audição esteja apenas rebaixadas. Claro, há sempre a opção de ser algo mais sério, se esse rebaixamento de audição vier acompanhada de vertigens.. mas nada que um otorrino e uma fono não possam lhe ser úteis.
Aliás, eu preocupei e decidi deixar um comentário... mas acho que vindo de vc, quase uma "drama queen" (olha a intimidade! rs!).. pode ser que você apenas tenha tido vontade de compartilhar mais uma história pra gente rir por aqui no blog.
Sucesso e te cuida!

Lívia disse...

Fernanda, eu to realmente preocupada com essa história (e muito estressada por não ouvir e ainda ouvir uma campainha altíssima no ouvido o tempo todo), então to agradecendo qualquer tipo de palavra de consolo...rs

Que prazer conhecer uma leitora, seja sempre bem vinda. :-)

Julia disse...

Lívia...
q barra!
fiquei triste por vc!=/
melhoras viu?
Deus dá o frio de acordo com o cobertor (é clichê, eu sei, mas cada vez mais acredito nisso!).
Vou ficar torcendo por vc!
Beijos, linda! Fique bem e boa sorte...