terça-feira, maio 08, 2007

Pautas da Terapia I

De acordo com a minha terapeuta, eu preciso tomar cuidado com as minhas relações. Porque existe em mim uma tendência a justificar erros e comportamentos alheios e a me contentar com muito pouco. Segundo ela, eu teria tendência a achar que a culpa é minha, que quem está fazendo errado sou eu e que isso influencia o outro de maneira negativa. E que isso não é verdade. Que eu preciso começar a pesar as coisas e perceber que algumas situações não valem a pena serem mantidas.

É estranho pensar nisso. Afinal, como decidir o que é aceitável e o que não é? E como saber se estou pedindo de alguém o que essa pessoa não pode dar? Até que ponto "fulano é assim mesmo e eu tenho que aprender a lidar com isso"?

Saí de lá ontem pensando nisso tudo e cheguei à conclusão que é assim que se comporta alguém que sofre abuso. É assim que pensa a esposa que toma uma bofetada do marido e justifica o ato, dizendo que provocou. É o pensamento que justifica um estupro com o fato da vítima estar usando minissaia. Impensável!

Preciso definir pra mim mesma o que é imprescindível e ter a firmeza de limar da minha vida qualquer um que não esteja de acordo. E eu sei que existem coisas que pra mim são importantíssimas. Como respeito, carinho, atenção, companheirismo e gentileza manifesta. Sim, disso eu não posso abrir mão. E nem sei porque aturo gente que não é assim.

Disse pra Lívia outro dia - a terapeuta - que embora eu ainda não saiba o que eu quero das pessoas, sei o que eu não quero e o que não aceito. Mas, que esta lista muda todos os dias, porque talvez seja meu primeiro contato com determinada característica ou talvez o que ontem não tenha me feito sofrer, hoje faça. Talvez por eliminação eu chegue a algum lugar definido, algum dia.

Por hora, eu to tentando descobrir do que são feitas as pessoas que me cercam e decidir quem é de verdade e quem não é. Ô, tarefinha árdua! Mas gratificante. :-)

6 comentários:

Júlio disse...

A Lívia faz terapia com a Lívia?! Caraleo, o Freud ou qualquer outro velho louco ia adorar essa! =P

Gabi disse...

E eu, que parei a terapia?

Tõ na merda.

Eric disse...

Devo ficar com medo do comentário acima?

Anônimo disse...

Olá, moça!
Gostei do seu blog, tô até pensando nessa idéia de fazer terapia um dia desses, mas ainda não me convenci...rs.
Fica aqui o convite p/ vc visitar o meu blog, ok?
.
Bj!
.
www.blogtemperado.zip.net
.

Rocca disse...

Adoro essas surpresas. Safadenha :)
Te linkar la em casa, pode né? ôô
Beijo gigante babe, saudade :/

pequenos delitos disse...

Não pare de tentar, Liv.
Essa é a melhor parte do jogo.