quinta-feira, junho 14, 2007

Ídolos - versão bunda furada.

Há algum tempo eu costumava arrancar risadas das pessoas declarando que o meu sonho era ser a Sandy. Eu dizia isso não pra arrancar risadas (afinal não sou palhaça assumida assim), mas porque era muito ilustrativo e muito verdadeiro. Eu queria ser a Sandy. Ser magrinha, anã, virgem, delicada, ter a pele perfeita, uma sapatilha de plástico pontuda com o meu nome, todo mundo achar que eu canto bem, passar meus dias ensaiando coreografias, escolhendo roupas, posando pra fotos, dando entrevistas, fazendo aula de voz, shows no país inteiro, viajando de férias pra Nova York, aturando aquele irmão ambíguo e ganhando rios de dinheiro vendendo cds, produtos variados e fazendo campanhas do óleo de amêndoas Paixão.

Diz aí, você também não quereria ser a Sandy?

E olha que eu nem to questionando talento nem gosto de nada nem de ninguém. Deixa a Sandy quieta lá no canto dela, não discutamos o mérito da questão. Aliás, particularmente, se eu fosse escolher alguém que eu acho foda pra dizer "queria ser essa pessoa", provavelmente escolheria alguém fodido e não foda. Alguém doente, ranzinza, dono da verdade, mal humorado, cínico, depressivo, fumante, falido, que sofresse abuso, preconceito, angústia, crise existencial e etc. A Tina Turner, por exemplo. A mulher tem, ao mesmo tempo, a voz e o par de pernas mais fodas do mundo. E no entanto, ela tomou tanto na cara daquele Ike, que apesar de admirar pra caraleo, não dá pra dizer que eu quereria ser ela. Ou, mais perto de mim, eu admirava e gostava muito do pai de um amigo meu. Cheguei mesmo a dizer algumas vezes "O Jorge é foda". Extremamente inteligente, caramba. Mas tudo isso que eu listei ali em cima, ele é, e não dá pra dizer que haja alguém que deseje ser deprimido, frustrado, ranzinza. Na verdade, as pessoas que eu mais amo e mais admiro são nojentamente inteligentes. De dar raiva mesmo. E todas tomam no cu de um jeito ou de outro por causa disso.

Então eu queria ser a Sandy.

Vai dizer que você não? Vai dizer que nunca acordou sentindo que seria mais feliz se tivesse metade da sua capacidade cerebral? Se não tivesse que ter opinião política, não tivesse que provar nada pra ninguém, não tivesse que ter observações inteligentes, que entender trocadilhos, que arranjar soluções pra problemas seus e até pros alheios, se pudesse ser piegas sem perder a sua fama de mau, se fosse o intérprete responsável pela música do gambá na floresta e não precisasse se sentir acanhado por causa disso, se pudesse gravar uma música dizendo "esse turu-turu-turu aqui dentro/que faz turu-turu-turu não tem jeito" e ainda assim ter um monte de gente cantando e achando você o máximo.

Por que é que a maldita da qualidade ou o desgraçado do senso crítico têm que estragar tudo, tornar as coisas tão difíceis? Já é tão árduo fazer alguma coisa da vida, quanto mais fazer alguma coisa que preste! Isso é o que deixa uma pessoa saudável, de boa aparência, com pai e mãe vivos e presentes, que tem casa, comida, roupas quentes, ensino superior e alguns amigos, infeliz. Afinal, a sensação de que não está fazendo NADA da vida é estranguladora. E quem garante que esta criatura não vai passar o resto dos dias nesta Terra sem fazer nadinha? Sem construir nada que fique pra posteridade, sem ter um companheiro, filhos, sem fazer realmente a diferença pra ninguém? O que vai impedir que ela se torne uma velha criadora de gatos e regadora de samambaias, tão estéreis quanto ela própria foi em vida?

Entende? Eu queria ser a Sandy!!!!

Mas isso foi até outro dia, quando eu encontrei um ídolo novo. Uma meta nova. Alguém que expressa muito mais minha ambição de vida do que a Sandy. Ok, é feia, velha, inglesa, discriminada e sei lá como é que passa os dias dela. Mas uma coisa eu sei: ela é a segunda mulher mais rica do mundo, só perde pra Oprah. E mais: ela é escritora. E mais ainda: ela só precisou de UMA idéia genial pra se tornar uma bilionária em alguns anos. Esta é, nada mais, nada menos, meus amigos, que J. K. Rowling, a criadora do maior fenômeno da literatura infanto juvenil contemporâna - Harry Potter. Ainda que falem mal dela, que pichem a obra (as sete!!!) de subliteratura, que reneguem o valor do Universo criado por ela, não importa.

Por acaso algum desses críticos pseudo gênios, cheios de senso crítico e gosto refinado tem algum dos milhões que ela tem? Por acaso algum deles é conhecido por um décimo das pessoas que a conhecem? Por acaso as idéias deles já foram adaptadas para o cinema e foram assistidas por milhares de expectadores e fãs? A resposta a estas e outras questões é um retumbante NÃO. Eu me pergunto quanto de dor de cotovelo não terá nas críticas tecidas à autora e à obra.

Em todo o caso, não quero entrar também no mérito desta questão. Se é bom ou ruim, foda-se. A minha colocação é outra: basta UMA idéia genial, uma dose de talento e muita transpiração.

Porra, eu quero ser a J. K. Rowling!

5 comentários:

Anônimo disse...

oi sandy... cheguei pelo google... tenho uma fórmula milagrosa pra transformar pessoas que aprendi no orkut... tem que tomar xixi de cabra vadia durante quatro luas, em jejum, sem vomitar ou regurgitar... aí dorme e, quando acordar, será quem você quiser...
eu, por exemplo, atualmente sou o fábio assunção... mas já fui o oswaldo montenegro, o collor, o mel gibson, o paulo zulu e o maníaco do parque... minha mulher, eu trocava todo mês... hoje é a grazi massafera e tenho que confessar que estou quase totalmente satisfeito, apesar do sotaque... a ex(?), foi brigitte bardot, nastassja kinski, xuxa, luma de oliveira, juliana paes e luciana gimenez... aí eu dei veneno porque quatro luas é muita coisa... é outra fórmula milagrosa que funciona muito bem, mas só serve pra imobilizar pessoas... e depois de um tempo tem que enterrar porque começa a feder...

de qualquer forma, eu queria pedir pra você continuar sendo sandy... muito sandy!... e até deixo um pedido... ou seria proposta?... se você continuar sandy, eu largo o fábio assunção e viro junior... em quatro luas... e dou veneno pra caipira da minha mulher...

por fim, queria fazer uma pergunta e um pedido...

a pergunta: estava procurando, também pelo google, uma cabra vadia novinha em folha, porque a minha já tá em idade avançada... e achei um tal de nelson rodrigues... ele diz assim: ´É MUITO TRISTE SER INTELIGENTE COM DOR´. não entendi, pode me ajudar?...

o pedido: canta aquela da mariquinha?

beijos do seu fã,

fábio assunção

Eric disse...

Tudo indica que se um dia meu trem atrasar, assim como aconteceu com a JK e eu ficar de cara feia e ninguém puxar conversa sobre bobagens comigo eu vou poder ser podre de rico como ela.

Ou não.

PS:

Júlio disse...

Tudo isso para contar que o Junior te deu um CD da Sandy e um livro do Harry Potter de aniversário/dia dos namorados? :oP

Rafa Cardoso disse...

Tudo bem, Liv. Há quem gostaria de ser o Paulo Coelho...

Eu queria ser a Gisele Bundchen. Esse negócio de ser anã e virgem não é comigo.

Liv disse...

ahahahahah...a Gisele num serve, Rafa, ela tem capacidade intelectual razoável e usa drogas... :-P