sábado, setembro 25, 2010

Audácia

Hoje de manhã tocou o telefone do Fabrício...espera, contextualizando. Sábado aqui em casa é dia de dormir até pelo menos nove horas, dia sagrado, sabe? Dia de desforra, tipo: "GRAÇAS A DEUS HOJE NÃO TEM NADA ME ESPERAAAAANDO!!!". Então, sempre que um espírito de porco liga aqui por volta dessa hora, nós atendemos um pouco ressentidos - a menos que sejam os pais da gente, afinal, pai e mãe sempre têm prioridade no telefone e só não são atendidos em duas ocasiões: quando ligam no meio do cocô número dois ou do sexo.

E hoje calhou do espírito de porco ser uma garota do seguro do Banco do Brasil. Nossa, o Fabrício ficou puto. E continuou puto quando uma hora depois elas ligaram de novo, mesmo depois dele ter dito que era pra ligar durante a semana. Aí ele pediu pra eu atender, mas a ligação caiu depois que eu falei "alô" duas vezes.

Pouco depois, ele estava trabalhando e ligou o Marcus, de quem eu já falei aqui, e ele pediu pra eu atender pra não interromper a linha de raciocínio. Atendi e de novo a linha caiu depois que eu falei "alô" duas vezes.

- Fabrício! Estou ficando complexada, ninguém está querendo falar comigo hoje!
- De novo?
- De novo! Eu falei "alô", "alô" e nada!
- Tem certeza que você colocou o telefone no ouvido certo??
- ...
- Ai, Morena! Ai! Moreeeeena!!! Ai, ai, aaaai!!!!

Um comentário:

naoquerosernormal disse...

hauhauhauhauhauha
qta audácia!
adoro ele! hauahuahuah
beijos, Lí!
ah, fiz um blog e te linkei, tá?
Júlia Paccanaro Rosa