domingo, dezembro 23, 2007

2007

Este foi, sem sombra de dúvidas, o pior ano da minha vida. Ganhou de quando os meus pais se divorciaram (11), ganhou de quando meu namorado cometeu suicídio (18), ganhou dos meus anos de angústia surda e muda dentro do Direito (17-24).

Apesar de sempre ter sido uma criança e uma adolescente calada, na minha, mais adepta de livros que da companhia de pessoas, melancólica, eu nunca tinha entrado de fato em depressão, o que aconteceu. Eu quis morrer tantas vezes esse ano que até me assusto olhando em retrospecto. Tomei remédio, entrei na terapia, me afastei das pessoas, infernizei a vida de quem eu mais amava. E perdi. Muita coisa.

Outro dia, na terapia, eu me peguei dizendo que se eu pudesse escolher um ponto dessa trajetória pra voltar, eu escolheria - olha a ironia - o dia em que eu cortei o pé, no Natal do ano passado, e que foi justamente quando eu decidi começar esse blog. Pudesse eu voltar àquele dia e talvez nada do que está escrito aqui hoje, fosse o mesmo. Talvez eu fizesse diferente, talvez conseguisse até fazer mais coisas certas. Por mais patético que pareça.

Engraçado...o ano passado terminou de um jeito tão promissor! E acabou dando tudo tão errado... Eu sinto como se naquele ponto eu estivesse começando uma fase nova do jogo, que tinha muito pra aprender sobre os segredos da história e muito a ganhar pras próximas fases. Mas eu não dei conta de jogar, morri e agora não tem mais botão de continue. Agora o jeito é arrumar outro jogo e tentar esquecer como aquele era bom e como eu gostava de jogar aquele. E talvez por isso eu esteja meio cética com o próximo ano...acho que eu desaprendi a jogar e me preocupo com quantas vezes ainda vou morrer por absoluta falta de habilidade. Acho que finalmente me vi que nem o Sr. Burns descobrindo que durante a vida dele toda era o Smithers o responsável pelo seu sucesso no golfe.

(...)

Na verdade, 2007 foi um ano recheado de incongruências. Cometi erros, magoei gente, perdi e reencontrei amigos, conheci alguns novos, fui acolhida por quem eu não esperava, passei alguns momentos muito felizes. Tomei algumas boas decisões, também. Mas sem promessa de ano novo, melhor deixar em off.

O que eu tiro desse ano?

A noção de que esperança morre, ressuscita e morre de novo. E ressuscita. E morre.
A consciência de que um parâmetro pode ser a essência de toda a infelicidade.
A certeza de que não terei saudades dos meus 24 anos.
E a vontade de aprender a jogar direito qualquer dia desses.

8 comentários:

cegossurdoseloucos disse...

Faz um tempo que eu não tenho mais expectativa de nada. Cada coisa boa que acontece não fica com gosto de que podia ser melhor e é bem aproveitada. E as coisas ruins, são só coisas ruins.

Dehynha disse...

Eu ia escrever minha famosa (cuma?) frase, mas o cegossurdoseloucos arrasou! Então... ficarei obsoleta... hehe

Xuxu... caí muitas vezes! Ou me jogaram no chão. Mas nunca desisti. Depressão, depois da primeira, vira sombra. Vigiai! E não desista!
Abração!

Carla disse...

Um ano ruim tem que fazer parte da nossa vida. No meu saldo positivo esse ano estão você e a Deia no topo. Isso já me fortalece e faz feliz. No próximo ano a gente bate mais a cabeça, porém de uma forma melhor, que machuque mais, talvez, mas com a certeza de bons resultados.

Beijoca na Liviolina.

R. disse...

O ano mais produtivo que tive termina em catástrofe. Nem quero pensar no que chega.

Beijo.
Se cuida.

Junior disse...

Babe. Não... Foi um ano que vc passou por coisas pesadas, mas está saindo muito melhor. Só por isso já foi um ano bom, apesar de todos os nossos pesares. Up babe, up. Todas as oportunidades estão aí ;) O cegossurdos (acho que Eric) tá totalmente errado. Coisas ruins não são apenas coisas ruins. Elas são boas se vc tomá-las como oportunidades. E vc já tomou algumas. Reconhecer os fatos é um passo ;) Bóras nóis =*

r disse...

"Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento." Clarice Lispector

“Se souber separar as fantasias de seu sonho de amor possível e realizável, então poderá ter uma boa amostra da sua realização. Talvez ainda fique no mundo das idéias, mas em breve se concretizará.” (horóscopo Touro ergh rsrs)

Osimar Medeiros disse...

Aprender jogar ninguém aprende.

Passei por algumas situações análogas às suas.

O jeito é keep walking, como já sabiamente preconizava johnnie walker.

MNN disse...

...bem...2008 está já aí. :)