quarta-feira, fevereiro 06, 2008

Sexo. Ou não.

Eu sempre fui da opinião de que Carnaval era uma coisa estranha. Via de regra ruim. E este não fugiu à regra. Aliás, carnaval-exceção foi o do ano passado, mas se tem uma coisa com a qual eu preciso me acostumar é que as coisas boas acabam com uma rapidez espantosa. Por mais que me doa, essa parece ser a regra.

Este carnaval eu passei sozinha, calada e na minha. Novidade, né? Mas até que foi sim. Choveu o tempo todo e quase não tirei o moleton. E enquanto eu me aninhava no sofá feito gato, o mundo lá fora sacudia, biritava, excretava e secretava. Sim, mesmo com o meu auto isolamento, não fiquei alheia do que tava rolando. Cheguei mesmo a declinar alguns convites, apesar do pensamento de que uma companhia sob o edredon seria mais que agradável.

Sim, este é o cerne deste post. Sexo. Ou motivos para não fazê-lo.

Há dois anos, eu escrevi um texto sobre sexo, movida pela declaração bombástica feita por uma mulher de que "sexo era sujo" e que por isso ela vivia muito bem sem isso. Hein? É, foi isso mesmo. Existe gente louca pra tudo nesse mundo, cada vez mais eu me convenço. O engraçado da coisa é que agora chegou a minha vez de resolver não fazer sexo, embora por motivos muito diversos.

Depois de declinar dos convites que me foram feitos nesse carnaval, parei pra pensar a respeito do porquê. Sabe, não sou romântica e ingênua a ponto de achar que sexo e amor devem andar juntos, longe disso. Bem sei que tesão tem vida própria e já tive boas experiências nesse sentido. Mas, mesmo desconsiderando o amor na equação, cheguei à conclusão de que sexo pra mim se tornou algo delicado de uns tempos pra cá. Ah, calma, eu explico. O que acontece é que simplesmente ficou complicado de me contentar com qualquer coisa. Como se eu tivesse estabelecido um recorde de salto em altura e não houvesse quem o quebrasse, o que infelizmente constatei. E o pior: atletas que porventura tentem o feito, sofrem e sofrerão o tenebroso crivo da comparação desleal. É triste, mas é assim.

Por isso, resolvi dar um tempo dessa coisa. To cansada de corroborarem sempre aquilo que eu já sei, obrigada. Hein? Doida, eu? É, pode até ser. Mas me conhecendo, acho melhor não envolver mais ninguém nisso. Porque eu vou sair insatisfeita e podem querer meter o tal do amor no meio. E, convenhamos: se zerar as sensações físicas já está difícil, o coração então, nem se fala.

Ah, um PS: amigos, ao que me consta, não dão em cima ao menor sinal de fragilidade, ok? Aliás, da onde eu venho, respeito é pressuposto de amizade. E se não tem isso, por favor, não venha de nhémnhémnhém pro meu lado não, que eu perco a paciência fácil.

6 comentários:

disse...

Sexo só pelo sexo cansa, né?

Eu também já fiz outras vezes e depois de um tempo constatei que não compensava.

Sua decisão é difícil, mas admirável.

Júlio disse...

Pô, a analogia com o salto com vara, sei lá...
Aliás, analogia nessa frase também não cai bem não. Porra, por mais que a pessoa tente, tudo no mundo acaba numa boa trepada. Ou numa conversa sobre...hauhauahuahauhau

Carla disse...

Eu concordo contigo. Estou de acordo com o post. Em termos. Também não tenho valorizado tanto o sexo. Não por comparar, mas por não achar O cara certo. Parece romantismo também, né? Mas você sabe que não é. Como a própria Lê disse "sexo só pelo sexo cansa".
Essa coisa de receber telefonemas e chamados... sou lá uma super-heroína para salvar os caras que não fazem sexo por um bom tempo? Por favor!
Será que sou uma super-heroína? Não tinha pensado nisso... vale um post! rs
Mas é uma brincadeira. Mesmo se fosse, não acho agradável um título do nível nesse caso.
Acho que você entende. Aquele nosso papo de puta, Bruna Surfistinha e o quanto deveríamos receber... hahaha
Deixa pra lá. Quem ler isso aqui não vai entender e vai acabar fazendo julgamentos errados.
O engraçado é que sexo é bom. E necessário, sim. Mas não essencial. Há momentos da vida que a gente sabe separar o que é importante e se precisar do sexo, se resolve. De alguma forma. A imaginação contribui às vezes, não podemos negar.
No momento, minha energia etá voltada pro lado profissional. Aliás, faz tempo isso. Mas acho que é o momento. Depois que isso se resolver eu me preocupo com a explosão de hormônios e o coitado que aparecer na minha frente, hahahahaha

Beijocas, Liviolina...
Saudade.
Falta você aqui.
"Te amo-te".

:)

PS: Não corrigi o post. Portanto, caso tenha erros, não repare.

Mavi disse...

Vinho é uma coisa boa pra essas horas, também...

Junior disse...

Não posso comentar esse post /heh

Jo disse...

CHOCOLAAAAAATEEEEE!!!


*piada interna - passando mal de rir*