quarta-feira, abril 23, 2008

Noventa e cinco horas

Então é aquela história: duas pessoas um dia se encontram sem querer, conversam muito mesmo pra tentar se conhecer, e vai vindo de repente uma vontade de se ver. E quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração e bla bla bla. Ok, Eduardo e Mônica é brabo, eu sei. Mas me dá um desconto, hoje eu mereço. Afinal, podia ser pior...eu também lembrei da Sandra de Sá, bem trash cantando "de repente me deu uma louca vontade de estar com você..." e do Fábio Jr. entoando a bendita "Felicidaaaaade" que brilha no ar. Então não reclama, tá?

Um dia, do nada, você conhece alguém que parece nada demais e nem há motivos pra pensar que alguma coisa possa acontecer apenas pelo fato de ter conhecido esta pessoa. Você não pensa muito nisso, tem coisas mais absorventes pra se preocupar. E é quando o tal cidadão que você conheceu daquele jeito despretensioso começa a se mostrar, colocando alegre e inocentemente as asinhas de fora. Você se surpreende, se pega pensando nisso mais vezes do que gostaria e se sentindo mais atraída do que poderia esperar. E então você pára, coça a cabeça e diz a si mesma que não é uma boa idéia, que é melhor deixar isso pra lá. Mas a importância daquilo cresce, diretamente proporcional à inconveniência da situação. E você se dá conta de que está apaixonada.

Até aí, nada muito inédito. Afinal, a maioria das paixões é mesmo uma idéia muito ruim a princípio e poucas batem no primeiro contato. Via de regra, elas chegam de repente, se instalam devagarinho e puxam o seu tapete, acredite.

Mas a partir daí é que a coisa começa a se individualizar. Algumas paixões se mantém platônicas, outras não são correspondidas e redundam num "você está confundindo as coisas", noutras você se joga de cabeça e vive momentos realmente únicos. Aí, nova ramificação. Umas ficam nesse encanto inicial por um tempo, perdem a graça e morrem. Outras evoluem e se transformam em algo maior.

Os primeiros dias são aquela coisa, né? Suspiros, olhos brilhando, sorrisos incontidos, dedos entrelaçados, palavras doces, tesão incontrolável, sacanagem e romantismo mesclados em proporções perfeitas, brincadeiras, enlevo, descobertas. Aí, quando finalmente você consegue desgrudar um pouco, apresenta pros amigos. Nesse ponto, algumas paixões acabam, porque você descobre que ele é chato ou que não entende a piada e banca o bobo ou que é rude e te passa vergonha. Mas nem todos. Alguns se mostram brilhantes e adoráveis e te fazem pensar que você ta coberta de razão em gostar daquele homem.

Aí, por um acidente - afinal, você não queria apresentar sua mãe pra ele, ainda mais tão rápido assim - ele acaba conhecendo a sua família. E, em vez de ser uma tragédia, que nem seria com a maioria, ele tira de letra a saia justa e ainda deixa todo mundo babando por ele. Aí você começa a pensar se aquilo é pegadinha e passa a procurar o Sérgio Malandro enquanto anda na rua. Não dá pra ser aquilo tudo, gente, tem algo errado nessa história! Mas você manda o senso crítico às favas e está de quatro. Se melhorar estraga, você tem certeza disso. E aí faz o que? Vai passar o feriado prolongado com ele.

Noventa e cinco horas. Dormindo e acordando junto. Bastidores, supermercado, lençóis, cinema, refeições, teatro, passeios de mãos dadas, diálogos hilários, jantar com amigos, papos sérios, planos, brincadeiras, suor, saliva, secreção. Uma overdose.

E você descobre que é aquilo mesmo e mais ainda: é de verdade. Real, palpável, de carne e osso. E que gosta dele mais do que nunca.

4 comentários:

Anônimo disse...

Deu overdose, foi, Morena? Desculpe. Juro que não tive a intenção... mas é que você estava ali, tão perto, que eu não resisti a te amar mais uma vez depois da última.
No dia em que você for minha, não terás mais essas doses cavalares de presença... elas serão ministradas em pequenas porções diárias para manter o seu vício e para aplacar a minha sede.
O Balconista.

Camila disse...

Santo Deeeeeus! Que lindo, Liiiii... Aproveita, se joga e não se preocupe em se beliscar pra ver se acorda! Vive o sonho na sua realidade e plenitude! Isso é o melhor da vida! Beijo...

Rodrigo Novaes de Almeida disse...

Fico feliz que você esteja bem. Seja boazinha com o cara rs Beijo.

Dehynha disse...

Maktub... :D