terça-feira, janeiro 30, 2007

Dia da Saudade

Calendário é o troço mais esquisito do mundo. Afinal, não deveria ter diferença entre o que eu sou hoje quando vou pra cama à noite e o que sou quando acordo no dia seguinte. Mas tem. E nem é questão de pesadelo, insônia, azia, nem nada disso. Por incrível que pareça faz toda diferença na nossa vida qual dia da semana e do mês é hoje.

Do dia do mês depende se eu tenho grana (eu não, que tô desempregada, né, mas da maioria das pessoas sim) porque o salário acaba muito antes do fim do mês. Depende se vou ficar uns dias de molho ou não, porque tô menstruada (eu? bem, whatever) e se passo um pequeno (muuuito pequenino, nem dá pra notar, tá?) período de insanidade por causa da TPM. Depende se tenho que comprar presente pra alguém porque tá chegando o aniversário-páscoa-dia-dos-namorados-dia-das-mães-dia-dos-pais-natal e o caraleo de asa. Depende se tem aula na faculdade, se tá em época de tirar férias no trabalho (anyway), se é mês das noivas (crise de riso, ai que idiotice sem tamanho) e portanto o casório TEM que ser durante aqueles trinta dias, se tá rolando campeonato brasileiro, Copa do Mundo, Olimpíadas. Etc.

Do dia da semana depende se eu tô puta da vida ou com preguiça porque é segunda feira, se eu tô meio morta porque é terça-feira, se eu posso ir no cinema porque quarta é mais barato, se eu começo a receber mensagens e telefonemas (rá-rá-rá, até parece mesmo) pra começar a agitar o fim de semana porque é quinta feira.

Antes da sexta, uma observação de cunho particular: SE eu recebo alguma mensagem-telefonema-email-convite de qualquer natureza a esta altura da semana - quinta-feira - com certeza é de alguém que eu não tô com a menor vontade de ver. Os meus amigos têm um timing incrível pra me ligar quando eu não posso atender por...ãh...motivos de força maior (heh) e quando eu não tô na cidade. A não ser que seja a Nayra, das poucas que é interessada de verdade em saber da minha vida e na opinião que eu tiver sobre a dela (Ah, estou me referindo a pessoas da minha cidade, é claro).

Voltando. Sexta-feira. E daí, né? Bora me preparar pra dois dias de ócio e de passar vontade, porque todo mundo que eu quero ver tá longe. Mas isso é a minha semana. A semana das pessoas normais é um pouco diferente.

Passam cinco dias correndo que nem uns condenados, de um jeito que relaxamento é ir no banheiro, caem na cama semi-comatosos à noite depois de assistir meia hora de televisão. Não tem amigo, não tem família, não tem namorado(a), tudo que se quer é o travesseiro. Isso de segunda a sexta-feira. Porque basta abrir os olhos e ser sábado, pra começar um ritual de estupor absoluto durante dois dias, em que só se deseja respirar, bem devagar, dormir no sofá com a televisão ligada. Talvez até sair, tomar uma com os amigos de leve, porque segunda tem que começar tudo de novo. E tudo isso depende da semana.

Por que mesmo eu escrevi isso tudo? "Porque você é uma maldita prolixa, Lívia", alguém poderia dizer. Mas eu só queria comemorar um dia esquisito no calendário, que até hoje cedo eu não sabia que existia: Dia 30 de janeiro é DIA DA SAUDADE.

E hoje é terça feira. Ainda falta muito pra saudade finalmente passar.

4 comentários:

Júlio disse...

O dia da saudade só poderia ser saudado (hein) com um texto desses. Ainda bem que você parou mesmo com aquele negócio de BBB. Nós, os leitores, estavamos com, veja só, saudades! hahahahahahahah

Lilhá disse...

Bora me preparar pra dois dias de ócio e de passar vontade, porque todo mundo que eu quero ver tá longe.

:wub:

PS: se acha.

Gabi disse...

Passa rápido, nêga.

E dessa vez vamos ao shopping, só nós, garotas, pra fofocar.

Topas?

Dehynha disse...

Droga...:'(